DE OLHO NA LÍNGUA: Dicas de português com o professor Antonio da Costa, de Sobral-CE



SALVO/EXCETO (CONCORDÂNCIA NOMINAL)
Embora proveniente de verbos (particípio presente ou passado), certas palavras trocaram de classe gramatical, tornando-se invariáveis. É o caso de salvo, exceto, obstante. Exs.: Todos fugiram, salvo dois; Salvo os dois alunos, ninguém mais se feriu; Os fiscais levaram tudo, exceto os quadros artísticos; Iremos, não obstante as ordens em contrário.

Nota: É muito generalizado no Brasil o emprego de “feito”, equivalente a “como”: Ela saiu feito uma doida. Observação: Não se confunda “salvo” (= exceto, menos), preposição, com “salvo” (= livre, são, salvado), adjetivo. No primeiro caso é invariável (caso visto no tópico anterior); no segundo caso é variável: “os fugitivos estão salvos”.

NÃO CONFUNDA: TE COM TI:
“Te” se usa por “a ti” ou acompanha verbo pronominal: Nunca mais te amarei; Nunca mais te procurarei; Apaixonava-te facilmente quando eras adolescente, mas logo depois te arrependias. Usa-se também pelo pronome possesivo “tua”: Quebro-te a cara, seu safado = Quebro a tua cara; Beijei-te os olhos tantas vezes = Beijei os teus olhos tantas vezes.

“Ti” é pronome que sempre vem acompanhado de uma preposição: Nada tenho contra ti, mas não votarei em ti; Entre ti e minha filha nada poderá haver. Por isso, não use: “ti gosto”, onde existem dois inconvenientes: o uso de “ti” por “te” e o emprego do verbo “gostar” sem a necessária e obrigatória companhia da preposição “de”. Prefira dizer cavalheiramente: “Gosto de ti”, e ela vai, assim, acreditar.


SENHORA (PRONÚNCIA)
Pronuncie “senhóra”, apesar de a província original ser, de fato, “senhôra”, porque se trata do feminino de senhor. A única pronuncia existente hoje é senhóra. A outra – “senhôra” – se arcaizou, o que não impede que alguns ainda a usem, porém comentem vício de linguagem.

Observe que das palavras terminadas em “OR”, a única que faz o feminino em “óra” é justamente “senhor”: autor (autora), compositor (compositora), consumidor (consumidora), diretor (diretora), doutor (doutora), cantor (cantora), inspetor (inspetora), promotor (promotora), professor (professora), revisor (revisora), reitor (reitora), tutor (tutora), etc.

SESTA (SÉS)
Pronuncie ‘sésta’. Da expressão “dormir ou tirar a sesta (é)” = dormir depois do almoço. Cesta (ê) = utensílio para transportar alimentos. Sexta (ê) = numeral, tem o ‘e’ fechado (ê).


SESTRA (SÉSTRA)
Sestra significa a mão esquerda. Sestro (é) significa vicio, mau hábito, e também tem o ‘e’ aberto (é).

LESO / PSEUDO / ALERTA
O adjetivo LESO deve concordar em gênero e número com o substantivo a que se refere. Exs.: Foi um crime de lesa-pátria; Sua ofensa caracterizava como crime de lesa-majestade.

PSEUDO, prefixo, é invariável. Exs.: os pseudo-médicos são facilmente descobertos; Essa pseudo-representação popular esconde intenções despóticas. ALERTA é advérbio e, portanto, invariável. Exs.: Os soldados estavam alerta; Os bombeiros ficam sempre alerta.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.