Pai do mototaxista Zé Augusto narra pesadelo que teve na noite anterior o assassinato do filho: “sabia que não era coisa boa”

Seu Chico Lopes, pai do mototaxista Zé Augusto: pesadelo e canto da coã

Ouvido pelo Elesbão News, no começo da noite dessa segunda(28), horas depois do assassinato do seu filho- o mototaxista Zé Augusto na estrada de acesso a Gameleirinha, o lavrador Francisco Lopes da Silva, o Chico Lopes, disse ter tido premonição que este dia algo poderia dá errado.

– Tive um sonho desagradável ontem à noite; uma pessoa furando o meu pescoço. Eu tomava a faca dele, que em seguida pegava outra faca, depois uma foice, ele conseguia me furar, mas eu corri, fui parar dentro de um grotão e o sujeito ficava ali fora me esperando para tirar minha vida. Fiquei assustado. Para completar, de manhã bem cedo próximo da minha casa tinha uma “Acauã(Coã)” cantando, espantei ela. Sabia que não era coisa boa.

O lavrador Francisco Lopes é viúvo, a esposa dela- dona Maria Nunes faleceu em 2010. O casal  teve 4 filhos- Zé Augusto era o mais velho. (Por José Loiola Neto)