DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com o professor Antonio da Costa, de Sobral-CE

Professor Antonio da Costa
TER DIREITO A ALGO
Diz-se: Ter direito a alguma coisa; Ter direito a uma vida digna; O acesso à escola é um bem a que as crianças têm direito; “Mas também vamos querer tudo a que temos direito” (João Ubaldo Ribeiro – O Globo 12/10/2003). É gramaticalmente manca, portanto, esta frase de um jornalista: “O imortal poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade celebra o seu Centenário com tudo o que (o correto seria: com tudo a que) tem direito – O Globo 03/11/2002. Correção: “… celebra o seu Centenário com tudo aquilo a que tem direito.

TÊXTIL
Do Latim “textil”, que significa entrançado, tecido. 1) Adj. – que se pode tecer, próprio para fazer tecido, fibra têxtil; 2) relativo à tecelagem, indústria têxtil. Plural: têxteis. A construção: empregado têxtil, se formos analisá-la ao pé da letra, não tem sentido, ou tem sentido absurdo, pois ficaria assim: empregado tecido, ou empregado próprio para ser tecido. Mas como a semântica muda o sentido etimológico das palavras, o vocábulo têxtil foi mais um deles cujo significado etimológico foi mudado.
Gostaria de frisar que conforme o que foi exposto acima, a expressão “empregado têxtil” já está consagrada pelo uso. Portanto, a construção está correta.

TERRAPLENAGEM /TERRAPLANAGEM
De terraplenar + agem = terraplenagem – conjunto de operações de escavação, remoção, depósito e compactação de terra necessárias à realização de uma obra. Ex.: O meu projeto de terraplenagem seria mais econômico do que o de vocês. Variante: terraplanagem, por influência de plano ou aplanar.

CARGOS PÚBLICOS: QUEM NÃO LHES ASPIRA? / CARGOS PÚBLICOS: QUEM NÃO ASPIRA A ELES?
A segunda. Cargos públicos: Quem não aspira a eles? O verbo aspirar tem dois significados, cada um com sua construção ou regência:

1) com o sentido de cheirar, inalar é transitivo direto: aspirar o perfume (aspirá-lo); aspirar o pó (aspirá-lo); aspirar substâncias tóxicas (aspirá-las).

2) com o sentido de desejar ardentemente, anelar, ansiar é transitivo indireto com a preposição ‘a’ e, mais raramente, a preposição ‘por’: aspirar à glória (aspirar a ela); aspirar pelas férias (aspirar por elas). A preposição deve ser mantida quando o objeto indireto aparece em forma de oração: Ele aspira a ser um deputado: Ela aspira por vê-lo novamente. O objeto indireto não pode, neste caso, ser substituído por ‘lhe’, ‘lhes’. É necessário que apareça a preposição. O mesmo ocorre com o verbo assistir, na acepção de ‘presenciar’: Dizem que é um bom filme, mas eu ainda não assisti a ele (e não: lhe assisti).

O analfabetismo é “um” agravante ou “uma” agravante?
O analfabetismo, assim como falta de respeito, será sempre uma agravante na formação de qualquer personalidade. A exemplo de atenuante, a palavra agravante é feminina, apesar de muita gente boa usá-la como masculina, o agravante, o atenuante, doravante use a atenuante, a agravante.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.
Postagem anterior
Próxima postagem
Notícias Relacionadas

0 comentários: