Irmã pede que assassinato do mototaxista Zé Augusto “não caia no esquecimento”

Mototaxista José Augusto foi brutalmente assassinado

Lucinha Nunes, atendente de farmácia, sendo ela Irmã do mototaxista José Augusto Lopes, 35 anos, brutalmente assassinado com profundo golpe de faca no pescoço no último 28 de novembro/2016 em um trecho da estrada de acesso a localidade Gameleira, por um desconhecido pede que caso não ‘caia no esquecimento’ da Polícia e Justiça e haja maior celeridade para elucidação do caso. Fato é que o bandido sequer foi identificado, além disso, a moto da vítima também não foi encontrada. O crime vem sendo tratado como latrocínio, já que houve furto posterior ao assassinato.

Por: José Loiola Neto