PAPO COM IDOSOS: Seu Manoel Zeca, 90 anos, pai de 15 filhos lembra a época em que foi vaqueiro em São Félix do Piauí e artesão em Elesbão Veloso.

Por: José Loiola Neto

O quadro Papo com Idosos da Edição 762 do Painel Popular do último domingo(12/3) foi com o aposentado Manoel Ferreira da Silva, o “Manoel Zeca”, 90 anos(07/04/1926) morador da Rua Costa Alvarenga, na Piçarra. Nascido na localidade Mocambo, zona rural de Elesbão Veloso, Seu Manoel Zeca é um dos 4 filhos do casal José Ferreira da Silva, o “Zequinha” e Filomena Macedo da Silva.

Casado com dona Maria da Conceição Alves Ferreira com quem teve 15 filhos, sendo Antonio Alves Ferreira o mais velho e a enfermeira Alice Taciana a mais nova da grande prole.

Seu Manoel Zeca fala ao Painel Popular: Papo com Idosos

Seu Manoel Zeca foi durante muitos anos um artesão de mão cheia. Confeccionava vassouras de palha, que chegavam a ser comercializadas para outros locais.

– Era minha profissão porque não sabia fazer outra coisa. Mandava tirar as palhas, pagava o derrubador. Fazia muitas vassouras e vendia até para São Luis-MA, ia também para Francinópolis, Várzea Grande, São Félix e Buriti do Castelo, e aqui eu tinha muitos fregueses.

Ao Papo com Idosos, Seu Manoel Zeca lembrou que por muitos anos foi vaqueiro do  senhores Dionísio Moura e Simão Celestino em São Félix do Piauí.

– Minha moradia foi a fazenda Salobro, fui também vaqueiro da viúva Dina do finado Tininho, filho do Major Ricardo, fui vaqueiro dela na Fazenda Santa Helena.

A criação dos 15 filhos não foi fácil, mesmo assim, demonstrou altivez e procurou fazer o melhor por cada um. Pai, avô e bisavô seu Manoel Zeca reconhece que anda com a saúde um pouco frágil, tanto que tem dificuldades para caminhar, a coluna, segundo ele, não está tão legal.

Dançador quando mais jovem, Seu Manoel Zeca não frequentou escolas e a pouca leitura se deve a um tio, que atendendo pedido do seu pai lhe ensinou as primeiras letras quando ele tinha 10 anos aproximadamente.

– Eu era muito inteligente e aprendi rápido, primeiro fui vendo as letras depois fiquei estudando, lia romances, mas depois a visão começou a ficar ruim, então não leio mais nada.