DE OLHO NA LÍNGUA: Dicas de português com o professor Antonio da Costa, de Sobral-CE. Material de 30 de abril 2017

A máquina /À máquina
Nessa expressão adverbial feminina, que indica instrumento, não ocorre a fusão de dois “as” (artigo + preposição = crase). Portanto, gramaticalmente dispensa-se o uso do acento indicativo da crase. Ex.: Escreveu uma carta a máquina. Observe que se, em lugar de máquina, tivéssemos usado uma palavra masculina (lápis, por exemplo) não teríamos a combinação “ao”, o que demonstra que nessa expressão não ocorre a fusão de dois “as” (crase): Escreveu a lápis – e não: Escreveu ao lápis.

Ocorre que muitos autores utilizam o acento indicativo da crase nas expressões adverbiais femininas de instrumento, mesmo não havendo o fenômeno da crase, em decorrência de uma tradição de nosso idioma, ou para evitar ambiguidades. Em expressões como a máquina, a bala, a vela, etc. não há como justificar uso do acento.

A gente
Não há inconveniente algum em usar-se a expressão “a gente” para designar quem está falando (eu ou nós), desde que se deixe o verbo no singular.

A maioria saiu / A maioria saíram
A primeira construção é correta. O verbo deve estar sempre concordando gramaticalmente com o núcleo do sujeito, mesmo que esse possa dar ideia de plural, como ocorre com os coletivos.

A mim ninguém me engana
Não há erro algum em construções em que ocorre a repetição do pronome oblíquo. Nesses casos, o pleonasmo não é considerado vício de linguagem.

A ponto de / Ao ponto de
Não existe a locução “ao ponto de”. A locução é “a ponto de”. Exs.: Ele está a ponto de pedir demissão; Estava assustado a ponto de não poder mais sair de casa. Em frases com: “Voltou ao ponto de origem” e “A carne ainda não estava ao ponto de ser servida” temos o substantivo “ponto” precedido de artigo e regendo a preposição “de”.

Acaso /caso
Com a conjunção “se”, deve-se utilizar “acaso”. Lembre-se da música: Se acaso você chegasse / No meu barraco e encontrasse…

Já “caso” nunca deve vir acompanhado da conjunção “se”. Ex.: Caso me queiras, casarei contigo.

Aerossol (pronúncia)
Aerossol deve ser pronunciado como girassol. O plural é aerossóis.

Alguns de nós saíram ou saímos?
Ambas as construções são corretas. Quando o sujeito é formado por um pronome indefinido no plural (alguns, poucos, muitos, quais, uns, etc.) seguido dos pronomes pessoais nós ou vós, a concordância tanto poderá ser feita com o indefinido plural, quanto com o pronome pessoal. Exs.: Alguns de nós saímos; Muitos de vós chegastes.

Caso o pronome indefinido esteja no singular (qual, algum, um, etc.) a concordância somente será feita com o pronome indefinido: Algum de nós saiu? Qual de vós achou a solução?


Quadriênio / quatriênio
Espaço ou período de quatro anos. Ex.: O mandato presidencial no Brasil se renova a cada quadriênio (ou quatriênio). As duas formas existem, mas a língua só agasalho quadriênio, e não quatriênio.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Contatos: (088) 9762-2542.