DESTAQUES DO DIA: assuntos mais importantes nos jornais que circulam nesta sexta-feira, 26 de maio 2017

Campanha de vacinação é prorrogada até 9/6

Por: José Loiola Neto, do Elesbão News


BRASIL
>> Mesmo com crise no governo, defesa de Michel Temer tentará adiar julgamento no TSE para que presidente continue no cargo.

>> Após críticas, Supremo Tribunal Federal pode rever termos do acordo de delação premiada da JBS.

>> Michel Temer revoga decreto sobre o das Forças Armadas nas ruas de Brasília.

>> Com crise na JBS, governo quer estimular pequeno e médio produtor de carne no país.

>> OAB entrega a Câmara dos Deputados pedido de impeachment de Michel Temer.

>> Deputado afastado Rodrigo Rocha Loures devolve os R$ 35 mil que faltavam na mala de dinheiro entregue à PF.

>> Mulher do deputado Eduardo Cunha, a jornalista Cláudia Cruz é absolvida dos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas em processo da Lava Jato em Curitiba.

>> PF começa a perícia nos gravadores entregues pela defesa de Joesley Batista.

>> Diretor da JBS Ricardo Saud delata que deputado federal Paulinho da Força negociou R$ 15 milhões em propina para o Solidariedade apoiar Aécio Neves em 2014.

>> Contas do Governo Federal tem superávit primário de mais de R$ 12 bilhões, 570 milhões em abril.

>> Campanha nacional de vacinação contra gripe é prorrogada até 9 de junho.

>> TCU manda INSS realizar mais de 89 mil pagamentos com indícios de irregularidades


INTERNACIONAL
>> Justiça do Perú nega pedido de habeas corpus ao ex-presidente Alejandro Toledo, investigado por recebimento de propina da Odebrecht.

>> Policiais são presos por maus tratos contra manifestantes na Venezuela.

>> Corte de apelações dos EUA mantém bloqueio e decreto migratório de Donald Trump.

ESPORTIVAS
>> Botafogo perde por 1×0 para o Estudiantes LP da Argentina mas termina líder do grupo-1 da Libertadores. No RS, Grêmio atropela o Zamora-VEN por 4×0 e também se classifica para as oitavas de final da competição.

>> Investigação da Espanha aponta que Ricardo Teixeira usou empresas de fachada para desviar pelo menos R$ 30 milhões