PAPO DE BOLA: Zé Maria relembra sua atuação no futebol elesbonense e condiciona falta de campos para surgimento de novos atletas


Um dos destaques do futebol em Elesbão Veloso, atuando como volante, tendo atuado por várias equipes do futebol local, bem como a seleção principal de Masters, ao Papo de Bola, do Painel Popular, o popular Zé Maria fez um retrospecto da sua vida futebolística, ressaltando que começou jogando pela Casa Padre Cícero de Gesci Ferreira, depois por outros times, dentre eles Trintões, Colorado, Rua do Fio etc.

Zé Maria reconhece que viveu uma boa fase na Rua do Fio durante a metade da década de 1995, o time à época era comandado por Manoel de Jesus Morais, o Manelão. Com carinho, ele lembrou do título dos campeões de intermunicipais conquistado pela seleção Masters em 1996.

- Eu atuava pelo time, mas por motivo de uma lesão grave(estiramento muscular) não pude jogar as finais, mas fazia parte do grupo.

Zé Maria confessa que sempre gostou mais de futsal que futebol de campo. A atuação como empresário do ramo de motos provocou um pouco a ausência no futebol, mas a mudança da família para Teresina, segundo ele pesou muito mais.

- Há pelo menos oito anos, dou assistência a minha família em Teresina, isso me distanciou muito do esporte, a questão empresarial não foi o ponto culminante para que isso acontecesse.

Questionado sobre o porque de Elesbão Veloso não mais revelar bons jogadores, algo que acontecia corriqueiramente, Zé Maria condicionou a falta de campos de futebol para prática esportiva.

- Eu lembro que anos atrás tínhamos aqui uma média de 10 a 12 campos de futebol espalhados pela cidade, haviam dois campos próximos a antiga CNEC, tinha campo na Várzea Alegre, campinho do Hospital, no Cirino, no Capitão Mundoco, na Sambaiba tinham pelo menos três campos; hoje não contamos mais com isso, acho que se tivéssemos mais campo poderia ajudar no processo de formação de jovens atletas.

Por: José Loiola Neto
Postagem anterior
Próxima postagem
Notícias Relacionadas

0 comentários: