Elesbonense Paulo Henrique Alves Ferreira, o "Paulinho do Manoel Zeca", comenta trabalho como escrivão da Polícia Civil e se diz feliz como Analista Juridico do MPF.

Por José Loiola Neto/Destaques de Elesbão

Em visita recente a Elesbão Veloso, onde este na residência dos pais, na Rua Costa Alvarenga, na Piçarra, o elesbonense Paulo Henrique Alves Ferreira, o "Paulinho do Manoel Zeca", 39 anos, tirou um pouco do tempo para conversar com a reportagem do Painel popular/FM Eldorado e falar a respeito das experiências profissional e dizer do amor pela família, nesse particular, aliás, casado e pai de dois filhos, Paulinho, que deixou a sua Elesbão Veloso em 1991, aos 13 anos rumo a Teresina para estudo e por consequência conquista de uma carreira disse que certa idade dos pais tem feito com que sempre que pode vir a terra natal.

Nessa vinda a Elesbão, no passado 26 de agosto, Paulinho, formado em Direito pela Universidade Federal do Piauí, ex-servidor da Polícia e desde 2014 Analista Judiciário do Ministério Público Federal- MPF, trouxe consigo um resumo da obra, um livreto- A Primeira Letra do Vaqueiro Manoel Zeca, que retrata um pouco da arte da prosa e verso do seu pai, o vaqueiro Manoel Zeca, um autêntico contador de casos e causos.
Paulo Henrique Alves Ferreira é analista de apoio judiciário junto ao MPF

O livreto é um misto de brincadeira e seriedade. Manoel Zeca,  de 92 anos, por essência é um contador de história nato, muitas delas ouvidas por Paulinho, ex-repositor de mercadorias no Supermercado Semac.

- Meu pai gosta muito de literatura de cordel e como eu gosto de escrever algumas coisas resolvi pegar algumas dessas histórias dele e transformar num romance de cordel, e assim nasceu esse livreto; Letra aqui está no sentido de feito heroico. Ele ainda era um jovem de 20 anos mais ou menos e ainda desacreditado ele consegue pegar um potro bravo sozinho mesmo tendo outros três vaqueiros até mais experientes. Essa história conta o primeiro feito dele como vaqueiro.

Paulo Henrique se diz amante de literatura de cordel e recorda que o seu pai gostava de participar do tradicional festival de violeiros em Teresina, no entanto, nos últimos anos, devido as limitações impostas, sobretudo pela idade Seu Manoel Zeca não tem ido a  capital piauiense.
 
UM RESUMO DA VIDA DE PH ALVES FERREIRA

Em Elesbão Veloso concluiu o ensino fundamental na antiga CNEC, depois seguiu para Teresina, onde cursou o ensino médio, em princípio aliou trabalho a estudo e confessa que com muito esforço conseguiu uma aprovação para o vestibular-- Direito pela UFPI.

Depois disso, foi aprovado em concurso da Polícia Civil, onde permaneceu por 14 anos, atuando como escrivão, até que surgiu uma oportunidade de ele fazer um concurso para Analista Judiciário do Ministério Público Federal.

- Eu até que era contente com meu trabalho na Polícia Civil, onde eu estava desempenhando um trabalho novo e pioneiro-- levantamento de estatísticas na área criminal, mas como vieram os filhos e o dinheiro começou a ficar mais curto voltei a estudar para concurso e em 2013 passei no concurso do Ministério Público da União e em 2015 fui chamado para primeira lotação em Picos e agora fui transferido para Caxias-MA e voltei a morar em Teresina.

Perguntado sobre o faz um analista de apoio jurídico, ele disse que basicamente ele assessora o que seria o promotor federal, que por lei, o nome do cargo é Procurador da República.

- Esse pessoal da Lava Jato que está muito famoso como o Deltan Dallagnol é um procurador da República, e eu seria um assessor direto do procurador da república.

Sugerido a um parecer a respeito da Lava Jato, que expõe uma enxurrada de denúncias e escândalos, Paulo Ferreira disse que como um jurista prudente que para dá uma opinião teria que conhecer os autos, mas é notório que o noticiário é farto e tem surgido notícias contundentes.

- O que eu diria é que a gente precisa estar atento e ouvir a todos os lados para a gente ter uma opinião mais abalizada.

A adaptação ao novo trabalho, visto que era escrivão da Polícia Civil, não foi tão difícil, sobretudo em razão da boa estrutura que o MPF oferece, prova disto é que no curto período de trabalho, o seu computador já foi trocado duas vezes; o mesmo não acontecia na PC, em que pese sua luta para o avanço principalmente na parte tecnológica.

Sobre os degraus a subir e espaços a galgar na carreira, Paulo Henrique Alves Ferreira disse que é uma pergunta que ele se faz quase todos os dias, reconhecendo que o resultado é fruto do esforço, mas quando se alcança uma certa idade, é preciso que se prime pela qualidade de vida.

- Dai você não pode fazer grande esforço se aquilo for te prejudicar porque você tem que ser pai, ser amigo, filho, eu que no caso tenho pais idosos tenho que está vendo eles vez por outra.

Casado com uma santacruzense(Santa Cruz do Piauí), formada em Filosofia, o casal tem dois filhos-- Heitor(10 anos) e Helena(8 anos).  MAIS FOTOS





 
Postagem anterior
Próxima postagem
Notícias Relacionadas

0 comentários: