Constantemente desligados, semáforos de trânsito em Elesbão Veloso transformam-se em engodo. Leia

A sinalização de trânsito há pouco implantada em Elesbão Veloso já começa a mostrar suas deficiências. Os semáfaros, instalados no cruzamento da rua Benício Alves com avenida Benedito Portela Leal, por exemplo, pouco funcionam, por algum motivo estão constantemente desligados.
Já os semáforos, que ficam próximo aos Correios não serve para nortear motoristas, motociclistas e pedestres há mais de três meses. O que se sabe é que foi gasto pela Prefeitura um valor significativo para adoção de tal serviço que até certo ponto julgamos essencial, contudo, da maneira como vem sendo executado é preciso dizer que a sinalização de trânsito em Elesbão Veloso vem se transformando em um grande engodo.

Sobre o Autor:

José Neto
José Neto Professor, radialista, apresentador e blogueiro

SAPECA: O meu sobrinho Kennedy Ricardo se refresca na água. Veja Foto

Olha ele aí, o pequeno e amável Kennedy Ricardo, filho do meu irmão Cícero Loiola com Elizângela Lopes. Com poucos meses de vida, ele já se mostrava muito sapeca e aguçado. Na foto, ele aperece em uma banheira com água, se achando o tal. Kend´s!!!

Sobre o Autor:

José Neto
José Neto Professor, radialista, apresentador e blogueiro

Elesbão Veloso volta a registrar chuva fraca. Leia

A exemplo de ontem, nesta quinta-feira de manhã, Elesbão Veloso voltou a registrar chuva fraca, o acumulado foi de apenas 8mm, conforme apurado pelo Painel Popular. Por volta das 9h da manhã um enorme mormaço formou-se, criando grande expectativa nas pessoas, sedentas por uma forte chuva, porém, nada mais além do que cerca de dez minutos de chuvisco. A seca segue sem querer dá trégua. Nessa tarde, o tempo está nublado. A temperatura máxima para hoje é de 33ºC, conforme a Climatempo.

Chuva em Elesbão Veloso. Foto: Bianor Lima Verde

Sobre o Autor:

José Neto
José Neto Professor, radialista, apresentador e blogueiro

RÁDIO PREVIDÊNCIA: Gestores do INSS Nordeste discutem formas de aperfeiçoar o atendimento oferecido ao segurado da Previdência


Ouça o áudio

LOC/REPÓRTER: Perto de seus 90 anos, a Previdência Social deseja comemorar com o aperfeiçoamento dos serviços oferecidos aos segurados. Quer também ampliar ainda mais a cobertura previdenciária entre os brasileiros. Por isso, mais de 400 gestores do INSS e autoridades, como o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, discutem num workshop a melhoria do atendimento prestado aos segurados. O evento acontece na cidade pernambucana de Gravatá. Garibaldi aproveitou a ocasião para destacar que o compromisso de melhorar o atendimento não é só do ministro ou do presidente do INSS, e sim de todos aqueles que prestam os serviços previdenciários. O presidente do instituto, Lindolfo Sales, reforçou que para que o cidadão tenha um bom atendimento, é preciso valorizar mais o servidor do INSS. O Workshop segue até sexta-feira com os representantes das agências da Previdência Social da Região Nordeste.

De Brasília, Camilla Andrade

RÁDIO PREVIDÊNCIA: Folha de novembro para R$ 35,6 bi em benefícios


Ouça o áudio

Até sete de dezembro, o INSS libera o montante de trinta e cinco bilhões e seiscentos milhões de reais para o pagamento dos benefícios da folha de novembro. Desse total, quase 12 bilhões representam somente a segunda parcela do décimo terceiro salário. Apesar de o INSS pagar quase 30 milhões de benefícios, só 25 milhões serão contemplados com a parcela da gratificação natalina. Essa diferença ocorre porque nem todos os benefícios têm direito ao décimo terceiro, como amparo assistencial e pensão mensal vitalícia. Quem tiver dúvidas sobre as datas de pagamento pode entrar na página eletrônica www.previdencia.gov.br.

De Brasília, Talita Lorena

Skank diz que “grande mídia rompeu com o pop rock brasileiro”

  • O grupo Skank participa do "Show da Virada" da Rede Globo, em São Paulo (27.nov.2012)
    O grupo Skank participa do “Show da Virada” da Rede Globo, em São Paulo (27.nov.2012)
Único representante do pop rock nacional na gravação do “Show da Virada”, da Globo, nesta terça-feira (28), o Skank afirmou que “a grande mídia” é a culpada pela falta de visibilidade do gênero musical no Brasil. “Há um rompimento patente e fácil de perceber da grande mídia e o pop rock brasileiro. Não sabemos até que ponto a mídia consegue moldar ou dar opção para a massa gostar de outro tipo de música”, disse o vocalista Samuel Rosa se referindo à “supremacia do sertanejo e axé”.

De acordo com Samuel, boas produções do rock e pop rock no país estão sendo descartadas pelas redes e veículos de comunicação. “Existe uma preguiça da mídia com bandas e músicas novas e é inevitável que isso se torne um círculo vicioso. As bandas também vão desanimando por não terem espaço e pensam: ‘Tocar no Faustão é tão difícil, tocar em uma rádio é tão complicado. Hoje em dia só o sertanejo, o pagode estão tocando e tal’. Isso vira um ciclo que não é tão legal, já vivemos momentos melhores”, diz o líder do Skank, que no auge do sucesso na década de 1990, costumava se apresentar com frequência no “Domingão do Faustão”, da Globo.

O baterista Haroldo Ferretti acredita também que o momento não é favorável para o pop rock e critica o “crescimento exagerado” de outros ritmos.  “A gente vê em outros segmentos lutas de foice, é uma quantidade de artistas novos, que eu me perco em ver que a cada mês surge um novo sucesso, e confesso que não conheço direito”. E acrescenta: “Está faltando democratização à música”.

Em agosto deste ano, a banda lançou o DVD “Skank – Rock in Rio” e teve a música com o rapper Emicida “Presença”na novela da Globo “Amor Eterno Amor”. Nos últimos dois meses, nenhum dos hits do grupo entrou nas paradas de sucesso, segundo o Hot 100 Brasil, que mostra semanalmente as 100 músicas mais tocadas nas rádios do Brasil.

Foto 4 de 26 – O grupo Sorriso Maroto posa para fotos durante a gravação do “Show da Virada” da Rede Globo, em São Paulo (27.nov.2012) Cláudio Augusto/Foto Rio News


Na Rádio UOL, a banda também não aparece entre as 50 músicas mais tocadas no último mês. Já o grupo de pop rock Jota Quest participa da lista com o hit “Tudo Está Parado”.

O Skank nasceu em 1983 e, em 1996, liderou as paradas de sucesso com o hit “Garota Nacional”. Na Espanha, na época, ficou entre as mais tocadas durante três meses.

Os discos da banda ganharam edições norte-americanas, italianas, japonesas, francesas e em diversos países ao redor do mundo. Quando “O Samba Poconé” chegava a quase 2 milhões de cópias vendidas no Brasil, o Skank foi convidado a representar o Brasil em “Allez! Ola! Olé!”, disco oficial da Copa do Mundo de Futebol de 1998.

Após ameaças, concurso reforça segurança em SP

O concurso Miss Bumbum, que será realizado na sexta-feira (30) em um hotel na região central de São Paulo, teve que reforçar o esquema de segurança por conta de ameaças telefônicas recebidas por seu organizador, Cacau Oliver.
As ameaças são feitas por uma mulher, de um número privado. Oliver disse que é acusado pela pessoa de exploração de mulheres e de transformá-las em objeto.
Ele contou ainda que a mulher afirma que vai prejudicar o andamento do concurso.
A vencedora será escolhida entre 15 finalistas, já selecionadas no site do evento.
Na plateia, não haverá nenhum convidado, apenas imprensa. São 146 credenciados, há pelos menos cinco equipes estrangeiras, da França, Alemanha e Estados Unidos.
Diretores de televisão, cirurgiões plásticos e a editora da revista masculina “Sexy” estarão no júri.
A vencedora deve posar nua para a publicação já na semana que vem.

Datena negociando com sequestrador ao vivo na TV

O apresentador José Luiz Datena negociou ao vivo, em seu programa, na Band, com um homem que mantinha a família em cativeiro, numa casa em Diadema, na Grande São Paulo. Por mais de 20 minutos, conversou por telefone com o homem, chamado Joel, que ameaçava a mãe e a mulher  com uma faca.
“Sou contra esse tipo de coisa”, disse Datena. “Mas a polícia pediu e eu percebi que era um cara de bem”. Procurando tranquilizar o sequestrador, o apresentador disse que acompanharia o seu caso, depois que ele liberasse as reféns. Em diversas ocasiões, Datena frisou que só aceitou o papel de negociador para atender a um pedido da polícia.
A transmissão do caso levantou a audiência do “Brasil Urgente”. No momento de maior pico, alcançou 9 pontos no Ibope, deixando o programa em segundo lugar, atrás apenas da Globo. Na véspera, a média de audiência foi de 5 pontos. Cada ponto equivale a 60 mil residências na Grande São Paulo.
Solucionado o sequestro, Datena pediu para deixar o programa, afirmando que estava esgotado. E repetiu mais de uma vez que era contra agir como agiu. “Fiz uma coisa que normalmente não faço e isso me custou muito caro. Estou me sentindo muito mal”, afirmou ao passar o bastão para Marcio Campos.
“É uma carga emocional muito grande. Quando eu digo que é difícil fazer esse programa, ninguém acredita. Vocês vão me desculpar porque é uma coisa que eu realmente não faço. Eu preciso deixar o programa. Não estou me sentindo muito bem”, acrescentou Datena
A negociação foi dramática. “Você tem que confiar no seu amigo aqui. Você tem que confiar em mim como eu estou confiando em você”, disse Datena. “A responsabilidade é toda sua, Datena”, respondeu Joel, a certa altura.
Joel se apresentou como mestre de obras.  “Assisto seu programa. Sou seu fã”, disse a Datena no início da conversa. “Joel é o nome do meu filho”, respondeu o apresentador, iniciando a negociação. “Não sou marginal, Datena”, disse ele. “Eu sei, Joel”, respondeu.
Consciente da gravidade da situação em que se envolveu, Datena mais de uma vez disse ao sequestrador:  “Eu coloquei em risco a minha carreira”. Também se explicou: “Tô falando porque senti que você é um cidadão honesto, de bem. Se não, você vai me deixar numa situação muito ruim”, pediu.
Em um momento, o sequestrador disse que temia “virar estatística”, ao que Datena o assegurou: “Não vou deixar virar estatística. Estou te prometendo que vou acompanhar o seu caso. Só te peço, pelo amor de Deus, que você saia daí”.
Joel também manifestou preocupação com a polícia de Diadema. Disse que não queria se entregar a policiais da cidade. Para assegurá-lo, Datena pediu à câmera da Band que mostrasse a placa do carro da policia presente no local. Era de São Paulo. “Está vendo?”, perguntou Datena ao sequestrador, que estava acompanhando o próprio caso pela TV.
Em diversos momentos, no esforço de convencer Joel a se entregar, Datena apelou para a religião. “Vamos sair com a mamãe e a irmãzinha. Ouça sua mãe que é Deus que está falando através dela”, disse ao sequestrador.
Veja o vídeo com o desfecho do caso:

Iceberg do tamanho da cidade de NY pode se romper

Geleira-pine-island-rompendo-discovery-noticias
Por Larry O’Hanlon
A primavera está chegando à Antártida, e cientistas da NASA estão monitorando uma enorme fenda na Geleira de Pine Island, que parece estar prestes a se romper. Se (ou quando) isso acontecer, desprenderá um iceberg do tamanho da Cidade de Nova York – gerando a maior elevação do nível do mar de origem antártica, segundo a Dra. Kelly Brunt, da NASA.
Isso acontece com alguma frequência nas geleiras antárticas, e não é o que torna esta ruptura particularmente preocupante. Como Brunt explica no vídeo abaixo, sobre a Operação IceBridge da NASA (em inglês), se a ruptura de geleiras fosse comparada à das unhas, a fenda da Geleira de Pine Island seria uma unha que se quebrou na parte branca – onde não deveria e dói mais:
O evento na Geleira de Pine Island parece contradizer registros recentes de expansão do gelo marinho na Antártida. Essa informação tem sido usada de modo impróprio por cientistas que negam a mudança climática. Seu argumento – errôneo – é que o Ártico pode aquecer e perder gelo marinho, já que a Antártida compensa essa perda. Esta é a história verdadeira, segundo o Centro Nacional de Dados sobre Gelo e Neve:
“A princípio, o clima está aquecendo em grande parte do continente antártico, como mostram vários estudos recentes (ex: Chapman e Walsh, 2007; Monaghan e outros, 2008; Steig e outros; 2009), e está ligado ao aquecimento do Oceano Pacífico (Ding e outros, 2010) e aos ventos circumpolares. Tanto o aquecimento como a perda do ozônio agem conjuntamente para intensificar os ventos circumpolares no sul. Isso se deve, sobretudo, às condições de frio contínuo que prevalecem na Antártida o ano inteiro, e a uma estratosfera fria acima da Antártida devido ao buraco na camada de ozônio. Geralmente, ventos mais fortes empurram o gelo marinho para fora, ampliando ligeiramente sua extensão, com exceção da região da Península Antártica, onde a geografia faz com que os ventos do norte empurrem o gelo para o sul. Portanto, a extensão do gelo marinho a noroeste da Península Antártica continua a recuar rapidamente, enquanto áreas no Mar de Ross e no sul do Oceano Índico apresentam aumentos expressivos (Stammerjohn e outros, 2012). As alterações na extensão do gelo marinho circumpolar quase se anulam durante todos os meses do ano (Parkinson e Cavalieri, 2012). Neste inverno, as condições atmosféricas ficaram próximas à média geral, com áreas praticamente iguais de ar quente e frio sobre o gelo marinho”.
O ponto crucial é que a Antártida não é o Ártico. É um continente na extremidade inferior do mundo – e também o continente mais elevado. É cercado de água, enquanto o Ártico é um mar no topo do mundo, cercado por terra.
Não é preciso ser cientista de foguetes para perceber que, apesar de serem polares, são “feras” climáticas totalmente diferentes. Portanto, precisamos observar esses lugares individualmente e ficar atentos quando as geleiras se romperem rápido demais.

Aliado de Edir Macedo perde cargo na Record

A Record Rio, principal filial da rede, está atravessando uma semana bastante conturbada. As movimentações na alta cúpula, as quais tendem a afetar a organização da emissora, surpreenderam os funcionários e o meio televisivo de modo geral.

Queda de diretor:
 
A primeira grande movimentação no canal se deu com o anúncio da saída de Carlos Geraldo do comando do canal nesta última segunda-feira (26). Geraldo, assim como a maior parte dos diretores da Record e de suas empresas mais fortes, é bispo e aliado a Edir Macedo. Ele estava à frente da filial carioca desde janeiro de 2010.  

Carlos Geraldo recebe Medalha Tiradentes em 2011Foto: Divulgação/Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro
Carlos Geraldo foi deslocado para a direção do PRB, partido político que abriga parte dos integrantes da Igreja Universal, como o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ).

Nesta última terça-feira (27), no fim do dia, a filha do diretor também foi demitida. Ela era uma das editoras da Record News, que vem sendo reestruturada desde o fim do mês passado e que já perdeu mais da metade de seu pessoal.
 
Motivo:
 
A destituição de Carlos Geraldo do comando da Record Rio foi arquitetada pelo presidente nacional Alexandre Raposo e pelo também bispo Honorilton Gonçalves, número 1 da TV e ligado à casa desde que ela foi adquirida por Edir Macedo, no começo dos anos 90.
 
Rumores indicam que dois motivos contribuíram para a saída de Geraldo da Record. O primeiro deles é que ele teria se negado a demitir cerca de 300 funcionários, alegando o fato de se estar às vésperas do Natal.
 
Outro motivo que se comenta nos bastidores é que o diretor teria feito chegar a Edir Macedo que a queda da audiência da Record tem ocorrido em decorrência das constantes mudanças na grade. O fato teria desagradado a Raposo e principalmente a Honorilton, que é o grande responsável por tais alterações.
 
Auditorias:
 
As rusgas entre Carlos Geraldo e a cúpula da Record de São Paulo não são recentes. No decorrer dos últimos meses, a sede ordenou que fossem feitas oito auditorias na filial carioca e nada que pudesse prejudicar a gestão ou a honra de Geraldo foi encontrado.
 
Nova direção:
 
Carlos Geraldo foi substituído por Cláudio Rodrigues Silva, diretor executivo da Record Minas.
 
Situação:
 
Cláudio Rodrigues Silva terá a missão de elevar os índices de audiência da Record e ao mesmo tempo incrementar o faturamento. Dos três jornais locais diários, apenas o “Balanço Geral”, de Wagner Montes, conta com um grande grupo de anunciantes.  

Wagner Montes comanda o bem sucedido “Balanço Geral” na Record RioDivulgação/Record
Outros informativos têm tendência de déficit. O “RJ no Ar”, de Gustavo Marques, possui números satisfatórios mas com apenas um – e breve – intervalo comercial. Já o “Cidade Alerta”, de Luiz Bacci, também vem crescendo no Ibope mas o número de clientes é bastante reduzido e sua viabilidade comercial se sustenta sobre o único patrocinador – uma rede de supermercados. 
 
Com informações do jornalista Lauro Jardim.