DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com o Professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de sábado, 23/09/2017

sábado, 23 de setembro de 2017

DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com o Professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de sábado, 23/09/2017


Por Antonio da Costa, professor de Língua Portuguesa em Sobral-CE

Os pronto-socorros devem estar bem aparelhados
Os prontos-socorros (ó) devem estar bem aparelhados. Em “prontos-socorros”, a palavra “socorro” sofre metafonia no segundo ‘o’. Pronuncie: prontos-sôcórros. Quando nome de pessoa não sofre metafonia: Conheço muitas Socorros, ou seja, conheço muitas pessoas que se chamam Socorro.

Barbarismo (O que é isso?)
É o nome que se dá em Gramática, ao erro de prosódia, de ortoepia (ou ortoépia), de grafia ou de forma, como também emprego de palavras ou construções próprias de uma língua estrangeira. Por exemplo: a palavra “fecho” (do verbo fechar) ser pronunciada “fécho”. Muita gente boa gosta de pronunciar “fécho” em vez de “fêcho”, achando que está sendo elegante. Pronunciar o substantivo “interesse” do mesmo modo que é pronunciado o verbo interesse (é): Espero que você se interesse (é) pelos meus interesses (ê).

Veja: interesse (é) é forma verbal do subjuntivo e interesse (ê) é substantivo. Pronunciar rúbrica, adevogado ou adivogado, reaveu em vez do correto rubrica (brí), advogado (sem ‘i’ ou ‘e’ entre as consoantes ‘d’ e ‘v’), reouve, respectivamente. Usar expressões com “ter lugar”, em vez de realizar-se ou efetuar-se; “saltar à vista”, em vez de ser claro ou evidente, já que as primeiras constituem um estrangeirismo especialmente denominado galicismo ou francesismo, por provirem do Francês.

O feminino de frei é sóror ou freira?
É sóror. Freira é a forma feminina do substantivo “frade”. Além da forma de feminino “sóror” (paroxítona), admite a variante “sóror” (oxítona).

Qual a construção correta: “Ele tinha gastado o dinheiro todo” ou “Ele tinha gasto o dinheiro todo”?
Aceitam-se a duas construções. O verbo gastar apresenta uma particularidade: a sua forma irregular de particípio pode ser usada com os outros auxiliares (ter, haver, ser, estar). Exs.: Ele tinha gastado o dinheiro; Ele havia gasto o dinheiro; O dinheiro foi gasto; Estava gasto todo o dinheiro.

Em tempo: O mesmo ocorre com os verbos ganhar e pagar.

Acento diferencial
Regra atual: a maioria das palavras homógrafas (mesma grafia) perde o acento. Grafia antiga: pára, péla (verbo), pêlo, pólo, pêra (substantivos). Grafia atual: para, pela (verbo), pelo, polo, pera (substantivos).

OBS.: 1) As formas verbais "pôr” e “pôde” continuam a ser acentuados para diferençá-los (ou diferenciá-los) das formas homógrafas. É facultativo o uso do acento circunflexo nas formas “dêmos” e “fôrma”, também para diferenciá-los das formas homógrafas. 2) Após o acordo, como seria interpretada a seguinte frase: “Trânsito pesado para a BR 262”.

Socioeconômico
O elemento de composição “sócio” deve se ligar a outra palavra sem hífen. Daí, as grafias: socioeconômico, sociolingüística, sociopolítico, etc. Em sócio-gerente ocorre o hífen, uma vez que, nesse sentido, sócio não é elemento de composição, mas um substantivo. O plural é sócios-gerentes.

Qual a correta forma do plural de “aval”?
O substantivo “aval” admite duas formas de plural: avais e avales (este é mais usado em Portugal.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Contatos: (088) 9762-2542.

Nenhum comentário:

Postar um comentário