PAPO COM IDOSOS- Nascido na zona rural de Elesbão Veloso, Sargento Silva agradece a Deus por sido PM e recorda as experiência como dono de bar e lavrador.

sábado, 11 de novembro de 2017

PAPO COM IDOSOS- Nascido na zona rural de Elesbão Veloso, Sargento Silva agradece a Deus por sido PM e recorda as experiência como dono de bar e lavrador.

Por José Loiola Neto//Destaques de Elesbão

O Papo com Idosos, quadro do Painel Popular/FM Eldorado entrevistou José Ferreira da Silva, o Seu Silva ou Sargento Silva, que por muitos anos-- mais de três décadas serviu a Polícia Militar do Estado do Piauí, tendo se aposentado em 1984, no momento, Seu Silva casado com dona Vicentina e pai da jovem técnica em enfermagem Silvânia que morreu em acidente de carro na BR-316, próximo a Teresina em setembro passado está com uma horta no bairro Capitão Mundoco, imediações do Rapa.

- Fico muito mais tempo nessa horta do que em casa. Tô produzindo bastante, lá, por enquanto só não tenho o buriti porque não encontrei ainda e uva.

Nascido na localidade Gado Manso, zona rural de Elesbão Veloso, a 20 de novembro 1932, Sargento Silva é um dos cinco filhos do casal Lizídio Ferreira da Silva e Adélia Soares da Silva. Perguntado sobre a vida na localidade Gado Manso, ele recordou o tempo em que ajudava o pai no roçado, porém ele alvejava outras conquista, e acabou sendo contemplado com a entrada na PM em 1961, quando já tinha 29 anos.

Chama a atenção o fato de Seu Silva até essa idade não ter frequentado a escola, mas sabia ler e escrever. Após ingressar na polícia, incentivado pelo amigo Chico Lima, hoje morando em Valença, começou a estudar a ponto de adquirir os primeiros diplomas.

Além da localidade Gado Manso, onde nasceu, Seu Silva e familiares morou em outras comunidades, dentre elas Santa Maria e Limoeiro. Morou também em Teresina, segundo ele, grande parte da sua vida.
Em 1966 ainda como soldado assumiu o comando da Delegacia de Santo Antonio de Lisboa, onde ficou por 3 anos. Seu Silva disse que valeu a pena ter sido PM, na verdade diz "graças a Deus".

- Me sinto um dos mais felizes desse lugar, além disso, na minha vida nunca vi meus filhos sofrendo, eu como militar também nunca judiei com filho de ninguém. Sempre procurei manter a segurança pública sem truculência.

No Piauí, sargento Silva recorda que trabalhou em Oeiras, em Conceição do Canindé, em São Francisco do Piauí, em Francisco Santos, Monsenhor Hipólito, e em resumo e linhas gerais, teve o prazer de ter sido PM.

- Foi como eu ter saído do fundo do poço para as águas do mar, pra mim, foi uma conquista. Imagina o cabra sair do cabo da enxada para ser soldado.

Depois da aposentadoria em 1984, se lançou ao mundo dos eventos, e em Teresinha construiu um clube no bairro Santo Antônio, também conhecido como Km-7.

- Fiquei dois anos lá, estava só nesta época, depois de um casamento que não deu certo, mas logo acabei conhecendo outra pessoa e ai foi outra vida, me casei novamente pela terceira, aos 49 anos de idade. Minha felicidade foi ter me casado novamente porque minha vida estava bastante enrolada.

A vinda para Elesbão Veloso se deu em 1986, onde passou a morar no Conjunto Eufrausino Moura, que havia sido inaugurado a pouco tempo atrás. Seu Silva possuiu um bar no antigo mercado público, possuía também um criatório de porcos e anos depois também passou a lidar com gado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário