Por cumprimento de direitos, professora Odeni Silva do Sinte-PI defende unidade entre professores e funcionários de escolas e se mostra preocupada com reforma da previdência.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Por cumprimento de direitos, professora Odeni Silva do Sinte-PI defende unidade entre professores e funcionários de escolas e se mostra preocupada com reforma da previdência.

Professora Odeni Silva, do SINTE-PI

Por José Loiola Neto/Destaques do Piauí

Em entrevista ao Programa A Voz da Educação na Rádio Pioneira de Teresina, no último dia 16 de dezembro, a ex-presidente, e agora Secretaria Geral na composição atual da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica Pública do Estado do Piauí-SINTE-PI, a professora Odeni de Jesus da Silva defendeu a necessidade de unidade entre os profissionais de educação durante todo o ano de 2018, a começar pela assembleia geral da categoria, prevista para acontecer no próximo dia 10 de janeiro, a partir das 9h no Clube Social do Sinte-PI, oportunidade em que serão tratados entre outros temas, o novo piso salarial dos professores a ser pago pelo governo, a partir de janeiro e a reforma da previdência, prestes a ser votada pelo Congresso.

- Essa unidade é fundamental e necessária entre os trabalhadores em educação.

Odeni destacou que o Sinte-PI já vai começar a luta pelo salarial dos professores e pelo reajuste dos funcionários. Segundo ela, em princípio, o momento será de diálogo durante a assembleia do dia 10 de janeiro, sendo necessário um movimento mais unificado.

- Se tiver que que ter uma paralisação, tem que ser uma paralisação integral-- professores e funcionários. Os funcionários apoiando a luta pelo piso dos professores e os professores tem que apoiar a luta dos funcionários pelo reajuste.


REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Na entrevista ao apresentador Gil Costa, a professora Odeni destacou que se o Governo Federal conseguir aprovar a reforma da previdência, o prejuizo será maior do que se o Governo do Estado deixar de dar os 6,82% (R$ 2.455,00 sem descontos) do piso para os professore e funcionários de escolas.

Para que a reforma da previdência não seja aprovada e o reajuste seja concedido ela apontou que é necessários que os profissionais em educação deixe um pouco de lado o corporativismo.

- A gente só pensa em greve na hora que fala do piso salarial. A assembleia do dia 10/1 é um grande desafio para nós porque nós precisamos dos professores e funcionários.

Um comentário:

  1. Espero que todos entenda a necessidade de estarem unidos contra os retrocessos proposto na reforma ou deforma da previdência, se aprovado serão décadas de lutas e sacrificios jogadas na lata do lixo.Parabéns professora Odeni Silva!

    ResponderExcluir