PAPO DE BOLA- Vicente Pereira, o bombeiro, pedreiro, goleiro... amante do esporte relembra o emblemático Grêmio Varzealegrense x Bangu em final de campeonato em Elesbão Veloso e diz que tirou lições da vida: "quero saber o que sou hoje"

segunda-feira, 2 de abril de 2018

PAPO DE BOLA- Vicente Pereira, o bombeiro, pedreiro, goleiro... amante do esporte relembra o emblemático Grêmio Varzealegrense x Bangu em final de campeonato em Elesbão Veloso e diz que tirou lições da vida: "quero saber o que sou hoje"

Vicente Pereira Silva era dono do famoso Grêmio da Várzea Alegre

Por José Loiola Neto/Esporte Local

Nosso entrevistado para o "Papo de Bola" nesse mês de março foi Vicente Pereira da Silva, 58 anos(22/01/1960) múltiplo sob todos os aspectos já que foi bombeiro, goleiro, dirigente esportivo e pedreiro, esta última sua profissão que exerce com muito esmero desde muito cedo, aliás que foi com pouca idade que esse cidadão, natural de São Félix do Piauí, mas elesbonense de coração já que chegou para essas bandas quando tinha apenas 5 anos de vida para morar na localidade Lages do Vidoca começou a trabalhar, conta ele que a partir dos 9 anos já estava na lida.

No conforto da sua residência, situada à Rua 15 de Novembro, no Conjunto Habitacional Eufrausino Moura, Chumally(por causa das músicas internacionais) recebeu a reportagem do Elesbão News para falar da sua vida em especial do que muita gosta: futebol.  Na entrevista recordou que a vinda para Elesbão Veloso se deu por intermédio do senhor Salustiano Moura então casado com uma das filhas do senhor Antonio Mendes da Silva, o "Vidoca".

- Em 1969, eu tinha apenas 9 anos comecei a trabalhar em um posto de combustível na BR-316 na Várzea Alegre. Toda vida gostei de ter o meu troco no bolso, eu cheguei a vender bolos feitos por dona Delfina, recordo que eu ia lá para o restaurante da dona Modestina, que ficava ao lado do posto, lá paravam muitos ônibus e eu ia vender bolo, dindin e laranja.
Vicente foi bombeiro, goleiro e emplacou profissionalmente como pedreiro

Vicente Pereira é um dos cinco filhos do casal Tomé Monteiro da Silva e Augusta Rosa Pereira. Com boa mente recordou que foi frentista durante 9 anos e 20 dias. Em 1986 foi a Brasília para visitar a mãe, que vive na companhia de um dos seus irmãos, atualmente ela está com 87 anos, o pai faleceu em 2011.

- Fiquei lá apenas três meses, fui a passeio e quem sabe encontrar um emprego, mas naquela época tinha uma burocracia danada, essa coisa de currículo, não deu certo, voltei, trabalhei dois anos e quatro meses na AABB de Elesbão Veloso, ali na Várzea Alegre, eu e o Lauro Costa.

Vicente lembrou que à época a AABB era bastante movimentada, inclusive na área esportiva com torneios de futsal e mini campo, sendo que o senhor Batistinha foi um dos que muito contribuiu para a ascensão do local.

- Às sextas, sábados e domingos era muita gente por ali. A parte recreativa era sempre movimentada, tinha os filhos dos funcionários, os próprios funcionários e associados, lembro do seu Zé Luis Moreira, Eurípedes Nogueira e outros mais. Sempre tinham churrasco, aniversários, casamentos etc.
Vicente Pereira, o amigo Chuamally narrou um pouco da sua vida para o Papo de Bola

A VIDA NO ESPORTE EM ELESBÃO VELOSO, E O FAMOSO GRÊMIO VARZEALEGRENSE.

Ao Papo de Bola, Vicente Pereira, o "goleiro" disse que sua vida no esporte começou com uma brincadeira, contando com a colaboração de colegas do bairro Várzea Alegre como  Bill, Soares e Benício começaram a disputar jogos nos bairros de Elesbão Veloso. Ele criou o Grêmio, famoso time do bairro Várzea Alegre.

- No time, inicialmente jogou o Benício, o Bill, Batata, Gonzaga, Chico Doido, Mirulin, mas eu trazia gente de fora também. Eu era goleiro. mas quando o campeonato pesava, eu trazia o Fransquin, de Teresina, que também era goleiro, já contei  com o Benedito, um bom goleiro, aqui de Elesbão, o Garfield já atuou no gol do Grêmio, mas também jogava de meia e volante. O Garfield hoje me trata de Maninho, por sermos gordinhos.

No Grêmio jogavam bons jogadores do futebol elesbonense à época, compunham o elenco: Zé Lages(médico que morava em Elesbão Veloso à época), Garfield, Benedito Leal, Chico Nen(hoje morando em Santa Cruz dos Milagres), Dourado, Tunda(em memória, faleceu em fevereiro do ano passado/2017), Assis Nunes(em memória, faleceu em julho de 2007), Sinval Holanda e Everardo da Judite.


Vicente recordou a emblemática final de campeonato local em 1983 entre Grêmio/Várzea Alegre e Bangu/Elesbão Veloso, no Nogueirão, vitória por 1x0, gol de Tunda ao final do jogo. Detalhe é que no gol dois irmãos-- Benedito Leal era goleiro do Grêmio e Fernando Portela defendia o Bangu.  Final no Nogueirão com pelo menos 1.000(mil) espectadores O Bangu, segundo Vicente foi um time formado pelo prefeito Manoel da Silva Moura, o Dezinho.

O ex-goleiro Vicente disse que naquela época, o futebol ao contrário de hoje era amador, os atletas jogavam por amor à camisa e a bola. Ele também se destacou como dirigente, ficou conhecido como Castor de Andrade, chefe do jogo do bicho no Brasil(falecido em 1997) e ex-presidente do Bangu-RJ nos anos 1980.

- Ganhamos muitos troféus, tenho boas recordações, dentro o esporte a gente faz muitas amizades.

A VIDA COMO PEDREIRO

Na entrevista ao Papo de Bola, Vicente Pereira disse que o começo da atividade como pedreiro foi num curto espaço de tempo em que esteve em Brasília por intermédio de um irmão, e ao retornar a Elesbão Veloso contou com apoio do senhor Zezi Soares, o famoso Zezi da Várzea Alegre(em memória).

- A primeira casa que eu fiz é uma que fica ali próximo ao portal de entrada da cidade, perto daquele chafariz, onde mora a dona Mariá, depois disso fiz outras tantas como a que mora o Zezinho esposo da professora Maria Inêz.

Recordou a boa amizade que tinha com o senhor Nonato, esposo da dona Hilma Lima Verde(professora aposentada). Nonato lhe ensinou bastante. Ele se orgulha de ser pedreiro, profissão que garantiu o sustento familiar com a esposa Amparo e os três filhos, todos formados.

- Muitos me criticavam, diziam não saber o que eu faria da vida quando um dia saísse do posto, mas eu mostrei a essa gente que tenho talento, Deus me deu o dom de ter sido um bom pedreiro, hoje me considero um cara feliz, graças a Deus convivo bem com meus filhos, com minha esposa, é Deus e minha família.


PROBLEMA DE SAÚDE: VICENTE ESTÁ SAFENADO

Enquanto trabalhava em Parnarama-MA sofreu um acidente que atingiu uma das pernas, e ao realizar uma bateria de exames descobriu que estava com diabetes e o colesterol elevado. Em outro exame--  teste ergométrico(esteira) e ecocardiograma constou que precisava fazer um cateterismo com máxima urgência.

- Numa conversa informal com o Dr Marcelo(Veloso) ele disse que eu precisava fazer o cateterismo para ontem. Eu vim para Elesbão Veloso e fiz todo encaminhamento através da Secretaria de Saúde, e no começo desse ano no dia 17/1 fiz os exames, no dia 1º de fevereiro fiz a cirurgia, transcorreu tudo bem graças a Deus e ao Dr Luis Otávio, ele nunca me desanimou.

Perguntado sobre o que projeto daqui pra frente, disse que pretende voltar a trabalhar, pois tem Deus a seu lado e ele vai dá um jeito, pois ele não será o primeiro nem o último a passar por essa situação.

- Temos muito exemplos de pessoas por ai que tiveram problemas de saúde e estão trabalhando. Eu não vou mais é trabalhar como eu trabalhava, vou me adequar conforme minha força.

Vicente ainda se recupera em casa, aos cuidados da esposa. Se mostra preocupado com a diabetes e com a cirurgia, por isso está atento as orientações médicas: repouso total, caminhadas e alimentação balanceada.

- Estou indo no balão da Várzea Alegre. O cansaço desapareceu, estou seguindo a dieta, comida com pouco sal e gordura, consumir muita verdura.

Sem consumir bebida alcoólica há seis anos, Vicente reconhece que bebia exageradamente e desde resolveu parar de beber que houve uma melhora substancial em sua saúde e até financeiramente.

- Eu era do tipo que quando saia do serviço nem vinha em casa, ficava logo no bar. A família pede, dá conselho e a gente não quer ouvir, e somente depois que a gente apanha e nota os exemplos e que a gente vai reconhecer. O que eu fazia não importa, eu quero saber o que sou hoje. VEJA FOTOS de Vicente ao lado dos filhos, todos formados.





Nenhum comentário:

Postar um comentário