DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de domingo, 05/08/2018

domingo, 5 de agosto de 2018

DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de domingo, 05/08/2018



Por Professor Antonio da Costa

Virgílio ou Vergílio?

As duas grafias ocorrem na Língua, mas a primeira, Virgílio, é considerada a correta. O gramático Mário Barreto, num dos seus excelentes trabalhos, provou satisfatoriamente que a grafia correta deste nome é com “i” na primeira sílaba, embora haja muita gente que prefiro insistir na grafia com “e”.

Filipe está no mesmo caso. Filipe vem do grego “phílos” (amigo, amante) + “hippos” (cavalo). Etimologicamente, Filipe significa: amigo, amante de cavalos. Essa etimologia talvez não agrade a certas mães que gostam de por o nome dos filhos sem pesquisar a origem e a grafia deles.

A toda a hora / A toda hora
Ambas as expressões são boas. Ela sai a toda hora (ou: a toda hora). O mesmo se diga: a todo o custo; a todos.
“Ele sempre foi maior do que realmente forte” ou “Ele sempre foi mais grande do que realmente forte”?
A segunda frase é a correta. Muita gente pensa que não podemos empregar a forma “mais grande”. Explica-se: devemos usar mais grande (e não, maior) quando estamos comparando duas qualidades de um mesmo ser.

As terminações “-isar” / “izar”
Grafa-se e com “-isar” se o substantivo correspondente ao verbo traz “is” + vogal. Ex.: análise – analisar; pesquisa – pesquisar. Não aparecendo “is” + vogal no substantivo correspondente ao verbo grafa-se com “izar”. Ex.: civil - civilizar; simpatia – simpatizar; aval – avalizar. Atenção, porém: bis - bisar; íris – irisar. Mas, sífilis - sifilizar.

O meu amigo Edson ou Edison? O meu amigo Aluízio ou Aloízio?
A grafia de qualquer nome próprio está sujeita às mesmas normas estabelecidas para a escrita dos nomes comuns. Assim, grafamos sempre com acento: Édson ou Édisson. A grafia Edison ou Edson está incorreta. A grafia Edison nos obriga a pronunciar “Edizon” (o “s” intervocálico soa “z”). Já a grafia correta é Aluísio ou Aloísio (as grafias Aluízio, Aloízio, Aloízo, Aloyzo são incorretas).

Vejamos outros nomes grafados corretamente: Antônio (ou António, em Portugal), Ânderson e Éverton, Êmerson, Cláudia, Luís, André, Vânia, Nélson, Benjamim, Ildefonso, Hildebrando.

Muitas pessoas e cidades têm seus nomes registrados em desacordo com as atuais regras ortográficas, seja por terem nascido ou sido fundadas em antigas épocas, seja por ignorância das normas vigentes. Tais pessoas e cidades podem manter a grafia original, resultando-se, assim, um direito individual, ou - se preferirem - poderão corrigir o seu nome. Assim, se uma pessoa tem no seu registro civil a grafia Luiz Antonio, poderá assinar-se dessa forma ou adotar a grafia atual - Luís Antônio.

Se alguém foi registrado Philomeno, poderá assinar-se Filomeno. Esse fato, contudo, nunca se dá. A nossa querida cidade de Itapagé hoje está sendo grafada corretamente: Itapajé. A palavra vem do tupi “ita” (pedra) + “pajé” (curandeiro, feiticeiro) e significa “Pedra do Pajé”.

(*) Professor Antonio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.

Nenhum comentário:

Postar um comentário