DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de domingo, 13/01/2019

domingo, 13 de janeiro de 2019

DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de domingo, 13/01/2019



Precisa-se ou precisam-se de operários?

O correto é: Precisa-se de operários. Nesse caso, a partícula “se” tem a função de tornar o sujeito indeterminado. Quando isso ocorre, o verbo permanece obrigatoriamente no singular. Exs.: Necessita-se de profissionais competentes; Acredita-se em discos voadores.

É interessante notar a presença da preposição: precisa-se de; necessita-se de; acredita-se em; aspira-se a. Isso é uma indicação de que a partícula “se” é indeterminadora do sujeito e, portanto, o verbo fica no singular


Ficar de pé / Ficar em pé
Ambas as formas são corretas. Uma forma e a outra dão uma canseiiiira. Em ambas, a palavra pé fica no singular.

 
Fim / Final (Como usá-las)
Use “fim” como substantivo e “final” como adjetivo: fim de semana, fim do filme, fim do ano, fim da novela; partida final, solução final, capítulo final. Menor é melhor. Prefiro “fim de semana”.


Fezes‘Fezes” joga no time de férias, anais, confidências, exéquias, núpcias, óculos, olheiras, pêsames, víveres, luvas e algemas. A equipe toda só tem a forma plural. Os naipes do baralho também se usa com o essezinho final: dama de copas, rei de espadas, dois de ouros, nove de paus.


Curiosidade: nada a ver. Muita gente acha que o verbo “enfezar” tem a ver com fezes presas, a conhecida prisão de ventre. A razão: a pessoa que não consegue fazer cocô fica irritadiça, enjoada, chata, enfezada. Mas, entre os mitos da etimologia e a etimologia real, há senhora diferença. O verbo vem mesmo do Latim “infensare” - ser raivoso com, ser hostil. Nada a ver com fezes.

Fantasma
Substantivo usado como adjetivo e se grafa sem hífen. Flexiona-se no plural: trem fantasma, funcionário fantasma, navios fantasmas, contas fantasmas.


Fato real (Pleonasmo)Embora muito usada, a expressão “fato real” é pleonástica. Basta usar apenas fato. Veja quando dizemos: Contra fatos não há argumentos. Não precisamos dizer: “Contra fatos reais”. Todos entendemos


Fazer erro / Fazer aulas /Fazer falta / Fazer morte
“Fazer” não substitui cometer, praticar, ter: cometer erros, cometer faltas, ter aulas, assistir a aulas, causar mortes, provocar mortes.


Fazer que / Fazer com queAmbas as formas são corretas: Manobra feliz fez que todos lhe apoiassem a proposta; Manobra feliz fez com que todos lhe apoiassem a proposta.


Fiar e fiar-se (Qual a diferença?
Fiar significa reduzir a fios (fiar alã; fiar o algodão; fiar o linho). Fiar-se significa confiar, acreditar: Não me fio em desconhecidos porque as aparências enganam; Não nos fiemos em políticos que se apresentam como muito honestos.


Finlandês ou filandês?
A primeira. O natural da Finlândia se escreve assim mesmo. Não existe a forma finlandês. Na palavra Finlândia existem dois ‘n”.


Rasto / Rastro
As duas formas existem, mas a segunda é a mais usual. Podemos, assim, trazer uma pessoa “a rastos ou de rastros”. Os verbos correspondentes são, respectivamente, rastejar ou rastear e rastrear.


(*) Graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, funcionário do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral (CE). Contatos: (88) 99762-2542 e (88) 98141-2183.

Nenhum comentário:

Postar um comentário