REVISTAS SEMANAIS- Destaques de capa das revistas que chegam às bancas dos assinantes neste final de semana. Sábado, 1º de Agosto 2020



ISTOÉ Edição  2.638

Capa: Geração transformadora

Ativismo transformador

Nova geração de líderes ganha força para enfrentar a escalada conservadora que se desenvolve no planeta e participar da organização de uma sociedade menos desigual e mais justa
A esperança emana dos jovens. Num mundo tumultuado pela pandemia, pelo desrespeito às minorias e pelo avanço da extrema-direita, são eles que podem nos salvar do abismo. Caberá a uma nova geração de líderes que agora ganha apoio institucional e musculatura política pelas redes sociais, enfrentar a escalada conservadora que se desenvolve no planeta e organizar uma nova sociedade menos desigual e mais justa. Rebeldes e sensatos, esses líderes nascentes pensam e agem globalmente, embora não percam de vista as questões locais e nacionais, e substituíram a impulsividade e o sectarismo que caracterizavam muitos jovens políticos do passado, por uma visão estratégica, pluralista e humanista. Há perspectivas se abrindo no meio da escuridão e gente que usava fraldas ou brincava de pega pega na virada do século, está, hoje, na vanguarda da transformação, combatendo ideologias obscurantistas e influenciando, pela internet, milhões de pessoas com ideias progressistas.
-----------------------
VEJA  Edição 2.698

EXCLUSIVO- Quem são os dez fazendeiros que mais destruíram a Amazônia nos últimos meses

Levantamento de VEJA tem como base as multas aplicadas entre agosto de 2019 e julho de 2020; só 3% das infrações emitidas pelo Ibama efetivamente são cobradas. 

Na jornada com destino a Paranatinga, município localizado ao leste de Mato Grosso e a 376 quilômetros da capital, Cuiabá, a Rodovia MT-251 se transforma num sinuoso caminho por meio de pastos, plantações e vegetação seca. Com 22 000 habitantes, o vilarejo não parece diferir muito de tantos outros lugares pacatos do interior do Brasil com economia voltada para a vida no campo.  As aparências enganam. A cidade é terra de fazendeiros criminosos, onde forasteiros são recebidos por seguranças armados com espingarda de cano longo, e vem ocupando de forma quase silenciosa o topo de um ranking pouco honroso: é hoje um dos epicentros da destruição da Amazônia. Fundada em 1964 por caçadores de diamante, Paranatinga atrai atualmente outro tipo de negócio, como deixa claro a cabeça de boi que ostenta o centro do seu brasão oficial.  A completa ausência de fiscalização e a certeza da impunidade permitem ali que um único agropecuarista converta em pasto uma área onde havia milhares de árvores sem correr o risco de ir para a cadeia. 
-------------------------
ÉPOCA Edição 1.151

Capa- O VIGOR DO MERCADO DE INSTRUMENTOS 

MUSICAIS E AULAS ANTE A PANDEMIA

A quarentena prolongada fez o ramo passar ileso pela crise trazida pelo novo coronavírus
Moradores tocam instrumentos em suas sacadas no bairro de San Salvario, em Turim, durante o lockdown italiano, em março. O interesse pela música se acentuou durante a pandemia. 

Postar um comentário

0 Comentários