Advertisement

Responsive Advertisement

MEMÓRIA ELESBÃO: Há 25 anos morria "Padre Nunes", o ferreiro.

Padre Nunes consertava máquina de costura 

Por José Loiola Neto

O senhor Raimundo José Nunes ou Padre Nunes ou Seu Nunes, nascido a 07/02/1898 em Oeiras-PI, chegou ao povoado Coroatá mais tarde Elesbão Veloso no começo da década de 1940 e aqui foi um ferreiro artesão, confeccionando peças como tachos, panelas, cuscuzeiras, colher, frigideiras a partir do alumínio, também consertava máquinas de costura, foi casados com a oeirense Maria Nunes com teve teve quatro filhos- João Nubes(in memória), Mercês, Benedito e Francisco Nunes. 

Seu Nunes, o Ferreiro com sua esposa dona Maria Nunes
Seu Nunes serviu o Exército no Rio de Janeiro. Adorava a cidade de Elesbão Veloso. A família residia em Teresina e ele fazia visitas constantes a capital piauiense. Aqui fez várias amigos, dentre os quais dona Ana Maria da Conceição e dona Maristela Teixeira, respectivamente bisavó e avó deste professor/repórter. 

Mantinha também uma amizade bastante sólida com o senhor João Chapada, morador da Vermelha nesta cidade, seu João era como o filho para Seu Nunes, um "magro incansável", vegetariano nato. 

Fichário de saúde de Seu Nunes perante o HGV em Teresina

Mudou-se para Teresina em 1994, faleceu de causas naturais na capital do Piauí, aos 98 anos no dia 5/5/1996. O corpo de Padre Nunes é sepultado em Teresina. 

Frasista gostava de dizer com frequência: "Em mulher não se bate, se dá rosas" e "O mundo é o de hoje". 

Postar um comentário

0 Comentários