Ticker

6/recent/ticker-posts

Advertisement

Responsive Advertisement

REVISTAS SEMANAIS- Confira destaques de capa das revistas que estão chegando às bancas e residências dos assinantes neste final de semana. Sábado, 1º/05/2021

 


ÉPOCA Edição 1.189
Capa- A VOLTA AO LAR DA MÉDICA QUE REGISTROU COMBATE À PANDEMIA EM DIÁRIO
Após quatro meses longe da família, a neurologista Bruna Villela, de 43 anos, descreve os traumas decorrentes do trabalho na linha de frente da Covid e o reencontro com a filha de 6 anos. E MAIS...
- Reino Unido promove festa para 3 mil foliões sem máscara como teste; veja imagens
- Igrejas travam guerra por vaga de 'terrivelmente evangélico' no STF
- Covid-19: é preciso medir a taxa de anticorpos após a vacinação? Especialistas dizem que não
- Com mais de 95% da população vacinada, Gibraltar tem vida quase normal e vira 'oásis europeu'
---------------------
ISTOÉ Edição  2676
Capa- A máfia da madeira ilegal
EXCLUSIVO: A misteriosa história do ministro Ricardo Salles com madeireiros ilegais
Como funciona o esquema de desvio ilícito de madeira da família Dacroce que, segundo a Polícia Federal, conta com o aval do titular da pasta do Meio Ambiente
Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) investigam a ligação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, com integrantes da família de Walter Dacroce, suspeita de grilagem de terras públicas no Pará e que foi uma das fontes que abasteceram a empresa Rondobel Madeiras Ltda, proprietária de parte dos 200 mil metros cúbicos de madeira ilegal apreendida no Amazonas em novembro do ano passado, avaliada em R$ 130 milhões.
----------------------
VEJA  Edição 2736
Reportagem de capa- Crise da Covid-19 leva a uma expansão inédita nas ações de filantropia no Brasil
Valor das doações na pandemia chega a R$ 6,9 bilhões, o dobro do registrado durante todo o ano de 2018; movimento pode mudar de forma radical a maneira como se combate a desigualdade no país
-------------------
REVISTA OESTE Edição 58
Capa- O JOGO DO GIGANTE
As manobras da China já alcançam sindicatos brasileiros, empresas europeias, escolas britânicas e a grande mídia
No fim da década de 1980, o cientista político norte-americano Joseph Nye criou o termo soft power (poder suave) em alusão à capacidade de um país de influenciar outros por meio de instrumentos culturais e ideológicos. Por décadas, os Estados Unidos exerceram esse poder sobre o mundo ao exportar seu modo de vida. A China não é uma exceção. Mas a conduta do país asiático vem mostrando que mudou a estratégia do Partido Comunista (PCC) de interferir em outras nações, sobretudo com a chegada do coronavírus. Estamos falando de uma etapa além e mais perigosa: o chamado sharp power (poder afiado, ou agudo, em tradução livre), conhecido como a diplomacia da chantagem.

Postar um comentário

0 Comentários