Ad Code

Responsive Advertisement

PAPO DE BOLA- Técnico carioca Nélson Mourão analisa carreira, se diz um estudioso do futebol e observa que a Copa 2014 deixou legado gigante ao Brasil

Professor Nélson Mourão repassando ensinamentos para comandados em um dos clubes por onde passou  

Por José Loiola Neto

Entrevistamos no domingo(27/03/2022), dentro do quadro Papo de Bola, o ex-atacante e atualmente treinador de futebol, professor Nélson Moura, 60 anos(03/07/1961), carioca, reside no momento em Chapadinha-MA, terra natal da sua esposa. 

Dono de bom currículo, acumulando trabalhos em clubes do futebol pelo Brasil, incluindo o Piauí, entre 2005 e 2006 teve uma experiência no futebol da Bósnia, dirigindo o NK Celik, ele se mostra um estudioso e conhecedor do futebol, considerando a maneira eloquente como se expressa, sobretudo quando o assunto é futebol. 

Ao Papo de Bola, Nelson Mourão fez uma retrospectiva da sua vida como jogador de futebol e trabalhos como técnico. Na conversa, tratamos a respeito das suas passagens pelo futebol piauiense, projeções do atual estadual e dos clubes do Piauí nas competições nacionais. Abaixo, os principais trechos da entrevista. 

CARREIRA CURTA COMO ATLETA. 

- Fui um atleta de futebol, cheguei ao profissional, infelizmente tive uma carreira curta pelo fato de contusões. Fui para o Botafogo eu tinha 13 anos de idade, quando ingressei na famosa equipe do seu Neca. Eu jogava na Portuguesa da Ilha e o seu Neca me fez o convite para integrar o Botafogo e ali fiquei até os 21 anos no profissional, daí o Botafogo me emprestou para o Olaria, depois eu retornei, o meu contrato não foi renovado e aí eu segui, voltei para o Olaria, depois fui para o Americano de Campos, América-RJ e  Nacional-SP. 

LESÕES QUE ATRAPALHARAM

- Eu tinha muitos problemas de joelho. Eu tomei muita pancada no joelho e isto foi me desestimulado. Eu me lembro que eu tinha recebido um convite do Avaí-SC e aí no exame médico eu não fui aprovado, então foi quando eu decidi parar. 

SEQUÊNCIA NA CARREIRA

- Dei prosseguimento porque eu sempre fui um apaixonado por futebol, então fui fazer meus cursos, fui me preparar para mim poder ser um bom profissional à beira do campo, fiz todos os cursos na CBF, Sindicato dos Atletas, Escola de Educação Física do Exército. 

PRIMEIRO TRABALHO COMO TREINADOR

- Fui para o Nova Iguaçu FC, um clube que na época tava iniciando a trajetória dele e ali fiquei durante 14 anos sendo treinador do infantil, juvenil, júnior, profissional e fui ganhando experiência, graças a Deus com meu esforço e minha força de vontade. Lembro que disputamos taça SP, jogamos o Campeonato Carioca em todas as categorias e isso foi me dando uma experiência boa. 

OUTRAS EXPERIÊNCIAS PELO BRASIL, INCLUINDO PIAUÍ

- Depois do começo no Nova Iguaçu, fui para o Juventus de Jaraguá do Sul-SC, em 1999, lá conseguimos o acesso da 2ª para a 1ª Divisão, posteriormente fui para o Guarani de Sobral-CE, até me transferir para o futebol piauiense, onde tive passagens por quase todos os clubes, só não trabalhei no Oeiras e Picos. 

CONQUISTAS NO FUTEBOL PIAUIENSE

- Cheguei no Parnahyba e o clube estava numa situação muito difícil, tinha feito um primeiro turno muito ruim, e aí nós chegamos para o segundo turno conseguimos algumas boas contratações no futebol cearense, montamos um time de qualidade com atletas com vontade de mostrar serviço no futebol piauiense, encaixamos um bom esquema tático tanto na parte defensiva como parte ofensiva, um bom conjunto, graças a Deus deu certo, conquistamos o segundo turno, fomos para a final contra o Flamengo-PI, jogamos três jogos seguidos no Albertão, fizemos os dois primeiros muito bons, o primeiro 1 a 1, o segundo 2 a 2, mas para o terceiro confronto eu já estava com o time quebrado por contusões e problemas de cartões e o Flamengo com um plantel melhor e com grupo de muita qualidade bem treinado pelo Paulo Moroni conseguiu nos vencer. 

LAÇOS ESTREITADOS COM O PIAUÍ

- Eu tenho muitos amigos na parte da imprensa, como dirigentes, torcedores, muitos tem admiração por minha pessoa e meu trabalho, nós fincamos raízes no futebol piauiense, principalmente na capital e eu carrego comigo até hoje. Em Parnaiba também eu fiz grandes amizades, trabalhei dois anos no Parnahyba e lá fizemos grandes amizades.

PERCALÇOS NO 4 DE JULHO

- Acho que não fiz um bom trabalho no 4 de Julho e isso me deixou de certa forma muito frustrado porque eu tinha uma vontade de trabalhar em Piripiri até pelas boas condições que o clube oferece para o profissional trabalhar e até pela cidade mesmo que respira futebol. Eu acreditava que iria fazer um grande trabalho, porém vários fatores extra-campo, também não tive a sorte de ter o presidente que o homem que gosta e ama o futebol que é o Luís Menezes, o Edilson também estava afastado na época e eu peguei o 4 de Julho numa época em que o time estava numa situação financeira muito ruim, não fez grandes investimentos a níveis de contratações, questão de campo, local de treinamento, enfim, teve vários problemas, não consegui fazer um grande trabalho e isso me deixou triste e chateado. 

VINDA AO PIAUÍ PARA TREINAR O CORISABBÁ

- Foi em 2001. Eu estava no Botafogo, em Caio Martins, não estava trabalhando, estava acompanhando o trabalho dos treinadores dentro do campo para ganhar experiência e continuar tendo aquela vivência e um amigo que é de Floriano e ele chegou em mim e perguntou se eu não podia dá uma ajuda ao clube dele, e eu topei, deu certo, vim para dirigir o Corisabbá numa fase em que o presidente Galdino não tinha um aporte financeiro bom, mas nós conseguimos com o pessoal e eu tive a sorte de treinar o Álvaro, o Valberto de grande caráter que até hoje falo com eles, tinha o Paulinho que era um 8 de ótimo passe, todos filhos da cidade. 

AUTO DEFINIÇÃO COMO TREINADOR

- Me defino como um cara bem tático. Eu gosto de trabalhar bem a a parte defensiva, fazer aquela parede defensiva, dependendo do adversário, se você vai jogar em casa ou fora, porque o treinador de futebol trabalha seu time de acordo com o adversário, eu pelo menos faço assim. Eu trabalho meu time ao longo da semana dependendo do adversário. 

ESTUDIOSO DO FUTEBOL

- Muito. Eu procuro estar sempre atento a tudo que está sendo de evolução no futebol. Eu acho que a nomenclatura do futebol mudou muito, o linguajar do futebol mudou muito e a copa do mundo trouxe um benefício gigante ao futebol brasileiro, houveram problemas da área da saúde, educação, o 7 a 1 deixou uma mancha muito feia, porém a Copa de 2014 deixou um legado muito bom porque houve a recuperação de todos os estádios, uma acomodação melhor para o torcedor e para o próprio atleta. 

ÚLTIMO TRABALHO

- Foi em 2018, no Nova Iguaçu FC, na época nós fomos vice-campeões da Taça Osvaldo Pinto Guimarães, fizemos lá um trabalho muito bacana, nessa época o clube vendeu dois jogadores para o Flamengo, e a partir de 2018, atendendo a um pedido da minha esposa que é de Chapadinha, retornamos para a cidade, onde tenho um relacionamento muito bom com a imprensa, governantes e as pessoas. 


PREFERÊNCIA POR ATLETAS NO GRUPO

- Gosto de trabalhar com 'jogadores rodados' e experientes, mas eu gosto de dá oportunidade para os jovens, esses meninos que estão aparecendo. Sempre tive essa característica de revelar jogadores. 

DECLÍNIO DO FUTEBOL PIAUIENSE

- Acredito que é uma junção de vários fatores, principalmente a questão da ajuda financeira. O futebol é um esporte muito caro e eu acredito que o futebol piauiense não tem um aporte financeiro bom por parte dos governos. Até hoje, na minha concepção, são pessoas que estão no comando e que não tem aquele amor que todos nós temos pelo futebol, haja vista que nós podemos perceber o Albertão numa situação muito ruim e eu até brinco com as pessoas que eu converso e digo que o Albertão está no CTI, precisando de reforma e investimentos em todos os segmentos, principalmente na questão dos vestiários, arquibancadas de maior conforto para o torcedor, gramado na minha opinião tem de ser trocado totalmente. 

TORCIDA PELO FUTEBOL PIAUIENSE

- Estou torcendo muito para que o Fluminense e Altos continuem nessa evolução que estão tendo, que o Ríver, Parnahyba e 4 de Julho se recuperem e façam aí bons campeonatos e melhorem a qualidade esportiva. 

SITUAÇÃO DO FLAMENGO-PI

- Lamentável. Eu não estou dentro do problema, mas acho que há algo muito sério porque eu trabalhei vários jogos contra o Flamengo, que era uma força, uma potência, para ganhar deles sempre foi muito difícil tanto dentro como fora e hoje a gente vê o time na CTI, eu até elogiei a coragem do presidente de o time no campeonato, mas eu acredito que o time ainda vai se reeguer no futuro, pois temos torcedores apaixonados que podem ajudar o clube. O time perdeu toda identidade com a venda da sede, isso trouxe problema porque o time não tem lugar sequer para treinar. 

PROJEÇÕES PARA O ESTADUAL 2022

- Há dois candidatos para cair junto com o Flamengo- o Oeirense ou Corisabbá, eu acredito numa recuperação do Corisabbá, temos um time que joga bem para frente, acho que o time pode se recuperar e o Oeirense deve cair. Na parte de cima a briga é boa, pelo título devem brigar Fluminense e Altos com uma tendência de título para o Fluminense. 

----------------

CURRÍCULO PROFISSIONAL

NELSON MOURÃO

Data de nascimento: 03/07/1961

Local: Nova Iguacu-RJ

Profissão: técnico de futebol profissional

Escola de Educação Física do Exército- Rio de Janeiro 1991

- Sindicato dos Treinadores de Futebol de São Paulo- 2000

- Curso Internacional de Futebol e Informações Científicas e Técnicas de Futebol- Rio de Janeiro 2004

Graduação

Superior incompleto- Universidade de Educação Física Castelo Braco/ Rio de Janeiro

EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS

Como atleta

- Botafogo FR

- Olaria Atlético Clube

- Americano Futebol Clube

- Esporte Clube Taubaté

- Ferroviária de Araraquara-SP

- Avaí Esporte Clube-SC

Como treinador

Nova Iguaçu Futebol Clube- todas as categorias de base

- Clube de Regatas de Flamengo- Juvenil

- São Cristóvão Futebol e Regatas- profissional

- Clube Atlético Juventus-SC profissional

- Clube Atlético Marcílio Dias-SC profissional

- Joinville Esporte Clube-SC profissional

- Guarany Esporte Clube-CE profissional

- Ríver Atlético Clube-Teresina-PI profissional

- Parnahyba Sport Clube- Paraníba-PI profissional

- Palmas Futebol e Regatas- TO profissional

- Comercial Atlético Clube Campo Maior-PI profissional

Experiência internacional

N K Celik- Bósnia e Herzegovina

Cup BIH Takmicarskoj 2005-2006

(Copa da Bósnia de Futebol 2005-2006)

Cup UEFA 2005-2006

(Copa da União Europeia de Futebol UEFA 2005-2006

Título conquistados e participações em torneios

- Vice campeão mundial(Torneio Juvenil)

Nova Iguaçu FC 1993

- Campeão da 2ª Divisão de Santa Catarina 1999

- Campeão do 2º Turno(Campeonato Piauiense)

Parnahyba Sport Club

- Vice-campeão piauiense

Parnahyba Sporte Clube- 2003

- Campeão Piauiense

Parnahyba Sport Club 2004

- Participou da Copa doBrasil 2004

Parnahyba Sport Club

- Participou da Taça SP Futebol Junior

Chapadinha FC Maranhão 2005

- Participou da final do 1º turno do Campeonato Maranhense

Chapadinha Futebol Clube 2005

- Participou da Copa do Brasil 2007

Barras Futebol Clube

- Participou da Copa do Brasil 2008

Palmas Futebol e Regatas

- Participou do Campeonato Carioca 2ª Divisão Profissional 2009; Campeonato de Juniores 2010; Vice-campeão Campeonato Carioca Profissional 1ª Divisão 2011 pelo Nova Iguaçu. 

Reactions

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu