Granja Moreira comemora 30 anos promovendo evento beneficente com Victor & Léo

Em entrevista na manhã desta segunda-feira (07), o empresário Carlos José, proprietário da Granja Moreira, em Valença do Piauí discorreu sobre o aniversário de 30 anos da Granja, onde terá como atração principal a dupla sertaneja Victor & Léo que se apresentarão dia 17 de setembro no CSU naquela cidade.

O evento que tem caráter beneficente visa arrecadar alimentos para ser distribuído aos mais carente da cidade. Para entrar no evento o interessado poderá levar 5 KG de alimentos não perecíveis. VEJA A ENTREVISTA ABAIXO.

Como foi as tratavas e a ideia de realizar um evento tão importante e de cunho beneficente?

– Quando conclui meu curso de Engenheiro Agrônomo, comecei a trabalhar em Teresina e vim embora com a ideia de montar um negocio aqui na região de Pimenteiras, começamos até lá. A Granja na verdade começou em Pimenteiras, e como começou exatamente no dia 18 de setembro de 1986, em um dia conversando a família, falei. “Vou fazer uma grande festa quando a granja completar 30 anos que iniciou.” Tive esse ideia e mantivemos essa conversa com essa dupla que gostamos muito, que é Victor & Léo, foi indo até que agora conseguimos fechar o contrato com eles e a nossa ideia era fazer uma festa pra toda região, já, que vendemos pra toda região que faz a granja Moreira que são os consumidores, hoje vendemos pra todo o estado do Piauí, abastecemos cidades como Teresina, Floriano, Picos etc. Então tivemos essa ideia de fazer essa festa da Granja Moreira que hoje é uma das maiores Granjas do Piauí e talvez a mais moderna em termos de tecnologia, acredito que sim. Hoje estamos produzindo mais de 200 mil ovos por dia, é a maior produção do Piauí, muito ovos e vai continuar crescendo.-


De que maioria o senhor ver essa trajetória da Granja Moreira ao longo dessas três décadas de existência o senhor esperava tanto auge digamos assim.?


– Com certeza não, você vivemos em uma região, muito difícil, semiárido com muita dificuldade, não é fácil se desenvolver uma empresa assim, nessa região, sem apoio de jeito nenhum e sem energia tínhamos, hoje tem uma energia razoável para fazer um galpão com mais tecnologia. Há cinco anos atrás, não tínhamos energia, quando dava 10 horas da manhã, tínhamos que ligar o grupo gerador pra sustentar esses galpões mais modernos e climatizados. Hoje a energia esta razoável, mais estamos preocupados que qualquer dia teremos que crescer novamente, mais tem a energia solar e pode ser que melhore. Estamos trabalhando para crescer a Granja Moreira cada vez mais e desenvolver nossa região.-

A granja moreira tem sentido esse reflexo de crise que passa o Brasil atualmente.?

– Eu na verdade vou dizer que não. Nos tivemos nos últimos anos, conseguido superar a crise maior, as dificuldades maior hoje temos uma estrutura maior, nos últimos anos a granja tem crescido em ritmo da China, podemo dizer. E nos bons anos da China, 10% ao ano, e não tivemos dificuldade não, temos uma estrutura muito boa. Hoje com a estrutura que temos, eu não tenho medo de produzir, pois sei que conseguirei vencer meu produto. Hoje não consigo atender meus clientes, além de produzir bem, sei vender bem, pois hoje tenho uma clientela certa e tem gente esperando na fila pra comprar ovos. É impressionante porque quando a gente tem um compromisso tem uma fidelidade com o cliente com a gente e tem gente querendo nos comprar a gente não esta conseguindo atender. –

– Estamos em torno de 140 funcionários, hoje estamos com três carteiras em cima de minha mesa para assinar, estamos sempre colocando mais um, mais um, até mesmo porque estamos sempre construindo e ampliando a granja. A gente esta sempre aumentando, no começo do ano, quando a televisão veio fazer uma reportagem tínhamos 115 funcionários, então, de lá para cá, já aumentou bastante. Eu acho que uma das coisas mais gratificantes pra gente é poder ajudar tantas famílias, porque aqui nos temos, valença é uma cidade que quase não tem produção. Tirando a Granja Moreira, nós não temos produção no campo, não temos um pequena industria, então isso dificulta demais o desenvolvimento da região, eu acho que nos temos sofrido muito com as más administrações da cidade aqui, que era uma cidade pra ter produção, pra gerar emprego. Nós aqui na verdade é uma cidade que não cresce, há 30 anos quando cheguei aqui, Valença tinha 21 mil habitantes hoje continua com os mesmos 21 mil. O que acontece, os jovens estudam e são obrigados a ir morar fora, porque não tem como continuar aqui, não tem emprego, não tem produção não tem geração de emprego e, é triste a gente ver isso, acho que temos que mudar essa realidade. Acho que não só aqui, mas Valença é uma das cidades que mais tem esse problema. Pela idade que tem, Valença era pra estar mais desenvolvida, né.-

Hoje a Granja Moreira é restrita somente a Valença ou o senhor tem projeto de expandir a granja moreira pra outros pontos? 

– Não!. Tenho projeto de expandir, mais somente aqui mesmo, fica difícil administrar fora (outras cidades). Minha correria já, é muito grande e tenho ainda projeto de fazer outra unidade, mas aqui mesmo em Valença, porque fica ruim pra correr pra um lado e pra outro. Estamos agora montando uma unidade nova, que é uma unidade de produção de adubo orgânico, que é uma coisa que também é o futuro da agricultura. Temos já, até um cliente certo que é Industria de Açúcar e Álcool de União, a COMVAP, que hoje é o grupo Olho d’água, Hoje temos já essa parceira com a COMVAP, pra produzir esse adubo orgânico, pra deixar no ponto pra eles colocarem na cana, eles tem consciência que com esse adubo vai dobrar a produção da cana, então estamos com essa parceria, vai ser uma parceria boa para os dois lados. Bom pra Granja Moreira e bom para o Grupo Olho d’água, que é a industria de Açúcar e Álcool do Piauí.-

O empresário Carlos Moreira, se considera um cara realizado?

– Ela começou com 750 pintos e um galpão em um fundo do quintal, pois na verdade foi ele que começou. Fez um galpão porque eu pedi, vamos construir um galpão pra gente começar a produzir ovos. Isso em Pimenteiras, e lá tive problemas e tive que me transferir e vim pra Valença e aqui tinha uma Granja fechada pequena, e eu recém casado, vendi o único bem que eu tinha na época, um Chevette pra começar a trabalhar. Foi muita determinação, porque as dificuldades foram demais, mas nunca desistimos e sempre enfrentamos todos os obstáculos com muita dificuldade, era peitando mais sempre indo pra frente, então não podemos desistir, eu sempre acreditei que ia dar certo e nunca desistir, pois é uma atividade de alto risco. Sempre estudando e se aprimorando, porque tem que se acompanhar a genética com toda tecnologia.-

Festa do dia 17 de setembro com Victor & Léo, como se dará a entrada no local.

– Na verdade essa festa esta sendo feita para o povo, a grande parte da população que vai a esse show nunca viu uma coisa assim. Um dos melhores shows do Brasil, falo porque já fui a um show deles e realmente é um espetáculo. E a entrada um kit com cinco tipos de alimentos que em média sai por no máximo R$ 15. Nossa ideia, começaremos a distribuir os ingressos a partir do dia 01 de setembro, iremos colocar um ponto no centro da cidade (Valença), para a  troca dos ingressos por este kit com cinco alimentos. As pessoas tem que vir aqui, qualquer pessoa pode vir aqui e trocar pelo ingressos e iremos distribuir esses kits com os mais carentes da região. Sabemos que as pessoas tem uma dificuldade muita grande, além de ter diminuídos os beneficiários do Bolsa Família esses benefícios que o governo esta cortando, tivemos também anos seguidos de seca também. Temos muita gente desempregada na região. A festa será realizada no CSU, e temos a ideia de colocar 10 mil pessoas e a festa terá inicio a partir das 20 horas indo até o final com a dupla Victor & Léo que é nossa principal atração.-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *