DE OLHO NA LÍNGUA: Dicas de Português com o professor Antonio da Costa, de Sobral-CE. Material deste domingo, 15/10/2017

domingo, 15 de outubro de 2017

DE OLHO NA LÍNGUA: Dicas de Português com o professor Antonio da Costa, de Sobral-CE. Material deste domingo, 15/10/2017



Como é o nome daquele aparelho elétrico que desliga a energia quando acontece um curto-circuito?
 

Eu ouço dizer fuzil. É isso mesmo? Fuzil com “z” é espingarda, carabina. A palavra certa para o caso é fusível com “s”, que significa fio de fusibilidade calibrada para proteger as instalações elétricas contra excesso de corrente.

Certa vez ouvi alguém dizer “O destino foi inexorável (inecsorável) com meu pai”. Inexorável (inekso) - que palavra estranha, o que significa?

A pronúncia correta é inexorável (inezorável), dando à letra ‘x’ o som de “z”. Assim: “inezorável”, que significa, no caso presente, aquilo de que não se pode escapar, fugir. Em outros casos significa implacável, rígido, insensível.

 
É correto alguém dizer: “Vou discascar (com “i”) o confeito?

Não. É completamente errado por dois motivos: 1º) Descascar escreve-se com “e”; refere-se ao prefixo "des”, que, no caso, significa ação contrária. 2º) Só se descasca aquilo que tem casca (uma banana, uma laranja, uma manga), que não é o caso do confeito, que deve ser desembrulhado.

Algumas pessoas pronunciam a forma “deve” do verbo dever, com som fechado. Elas dizem: deve (ê). Isso é correto?
Olhe, eu não sei onde aprenderam essa pronúncia. Apenas lhe garanto que a pronúncia correta é deve (é), com som aberto (déve). Essa história de deve (ê) é falópio flácido para acalentar bovinos. No popular, conversa mole para boi dormir.

Às vezes, ouvimos palavras inusuais e que nos causam estranheza, não é verdade? Melhormente é uma delas.

O advérbio melhormente não apresenta, do ponto de vista lingüístico, nenhum erro, pois foi formado do adjetivo “melhor” mais o sufixo “mente”. Como foi dito, causa espécie porque é inusual (não usual, pouco usado), mas é gramaticalmente correto. Sendo assim, diga sem medo de errar: Dessa vez ela agiu melhormente.

Da próxima vez serei mais “suscinto” (Certo ou errado?)
Diga-se: Na próxima vez serei mais sucinto (na palavra sucinto não existe a letra “s” antes do “c”. Devemos sempre dizer na próxima vida, na próxima geração, na próxima oportunidade, etc.

Os paulistas dizem: Vitamina Ê (Está correto?)
Essa pronúncia é totalmente equivocada. O nome da letra tem a pronúncia aberta, ou seja: E (é). Ex.: Lâmpadas GE (é).

Qual a diferença de emprego entre os verbos tachar e taxar?
Ambos têm a mesma significação: Qualificar, classificar, mas o primeiro se usa sempre no mau sentido, enquanto o segundo se usa em qualquer sentido. Assim, podemos tachar ou taxar um amigo de mal-educado, um político de corrupto, um presidente de mentiroso e cínico. Mas só podemos taxar alguém de inteligente ou de gênio.

A chinela ou o chinelo?
Ambos. A forma original é a “chinela”. Vinda do dialeto genovês “cianèla”. Mas, com o tempo, surgiu o termo “chinelo”, certamente por influência de: o sapato, o calçado.


(*) Graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, funcionário do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral (CE). Contatos: (088) 99762-2542.

Nenhum comentário:

Postar um comentário