EXCLUSIVO: Em Elesbão Veloso, ex-governador Wilson Martins afirma que atual governo "está sem rumo e sem prumo", assume pré-candidatura ao Senado e anuncia apoio a candidatura de Luciano Nunes ao governo do Piauí.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

EXCLUSIVO: Em Elesbão Veloso, ex-governador Wilson Martins afirma que atual governo "está sem rumo e sem prumo", assume pré-candidatura ao Senado e anuncia apoio a candidatura de Luciano Nunes ao governo do Piauí.

Ex-governador Wilson Martins concedeu entrevista excdlusiva a FM Eldorado

Por José Loiola Neto/Destaques de Elesbão- Política

De passagem por Elesbão Veloso no último dia 19/1/18, oportunidade em que retornava à Teresina vindo de Picos, onde participou de atos fúnebres em memória de um amigo na política, o ex-governador Wilson Martins(PSB) falou com exclusividade ao Programa Painel Popular(o mais completo jornal do rádio) na FM Eldorado e entre outras coisas comentou a respeito do cenário político de momento no Piauí, especialmente no campo administrativo, o qual na sua opinião o atual governador do estado, o petista Wellington Dias terminantemente perdeu o equilíbrio, tanto que faz uma gestão que não atende os anseios do povo piauiense.


Na entrevista, Wilson questiona obras feitas pelo atual governo, e sem cerimônia diz que em quatro anos fez muito mais pelo estado do que os 10 de Wellington, opina que Luciano Nunes(PSDB) é um bom nome com vistas as eleições de outubro e consequentemente para recolocar o estado nos trilhos, confessa que tirou lições das eleições 2014, quando não logrou êxito na corrida ao Senado e aponta que sendo eleito Senador da República sua principal bandeira será a defesa e busca pela implementação de um plano voltado a dotar o Piauí através das suas fontes naturais, incluindo açudes e rios que possam fornecer água para a população de maneira permanente, levando em conta que o Piauí quase que na sua totalidade enfrenta longos períodos de estiagem, dessa maneira a intenção é resolver de vez o crônico problema de acesso água.


Confira os principais trechos da entrevista:

RELAÇÃO COM O MUNICÍPIO DE ELESBÃO VELOSO

- Tenho um relação estreita e sobretudo de gratidão. Sou muito grato. Na eleição passada, o Ronaldo(Barbosa- atual prefeito) me deu aqui uma votação expressiva com os outros companheiros que se juntaram e tivemos uma votação surpreendente com uma maioria grandiosa, por isso sou eternamente grato a nosso líderes e amigos aqui e ao povo de Elesbão Veloso. Ao longo da nossa caminhada foi possível a gente conhecer, depois conhecer porque coloquei o pé na vereda, fomos a Santa Helena, a Mosqueada, ao Capim Pubo, rodamos o município indo e voltando. Lembro tudo porque a gente vive isso aqui, por esses municípios todos nós levamos energia a outros água, também teve a questão das melhorias sanitárias. Na área médica, como médico como neurocirurgião cuidei de muita gente, aliviando a dor e salvando vidas.

LEGADO DEIXADO COMO GOVERNADOR
- Não dá nunca para fazer tudo. Mas as ideias que nós tivemos conseguimos concluir algumas e em outras deixar muitos recursos com projetos assegurados para o atual governo fazer. Infelizmente ele não deu conta de fazer. Nem aquelas ideias que nós fizemos e que nós iniciamos, ele não deu conta de concluir.

GOVERNO ATUAL DESNORTEADO
- O atual governo perdeu o rumo e prumo porque imagina: a Transcerrado, que é uma grande obra, eu deixei 25km de asfalto feito de excelente qualidade e deixei mais 80km de terraplanagem e está a obra lá absolutamente paralisada e eu não sei onde foi colocado o dinheiro. O atual governo também não deu conta de concluir os 10km de duplicação que nós deixamos em andamento como o rodoanel em Teresina, nós deixamos o rodoanel com 82% concluído, uma ponte feita sobre o Rio Poty e até hoje ele não deu conta de complementar essas obras.

RAZÕES PARA O DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO
- Primeiro gastar mais do que arrecada. Eu deixei o Estado com 30 unidades gestoras, ele passou para 64, criou secretarias, coordenadorias com nomes bonitos que a gente não sabe nem onde fica, não sabe o endereço. O inchaço nesse número de órgãos contribuiu para o desmando. Nós elegemos 30 deputados estaduais, hoje tem 45, está do tamanho da Assembleia do Estado do Ceará, que tem quase duas vezes o número de habitantes do Piauí, houve um exagero, uma desorganização e o resultado que estamos vendo aí é o governo aumentando impostos; aumentou imposto de combustível, de energia, de comunicação, hoje todo mundo tem um celular e por um ligação que o usuário faz paga um imposto ainda maior, isso acarreta uma "inflação surda", mas que pesa no bolso dos contribuintes.

FALTA DE DIÁLOGO COM WELLINGTON
- Deixou de acontecer porque nós fomos decentes com o Partido dos Trabalhadores e um companheiro nosso decidiu ser candidato a presidente da república porque o modelo de governo do PT apesar da esquerda também exauriu, prova é que começaram  a pipocar as denúncias na Petrobras, no BNDES, as denúncias começaram lá atrás com o mensalão que virou o petrolão e a gente avisou: 'estão loteando a nação brasileira, está havendo uma corrupção desenfreada e isso não é possível". O Eduardo(Campos) lanço sua pré-candidatura a presidência da república, por isso fomos transformados em demônios pelo PT porque tomamos a liberdade democrática de concorrer a presidência da república. Infelizmente o Eduardo morreu naquela fatalidade, naquela tragédia, naquela queda de avião, mas foi ali que se deu o afastamento do PT do nosso governo.


ANÁLISE DO AFASTAMENTO PSB-PT
- Acho que saímos numa boa hora. Reclamamos sobre o que estava acontecendo, mas não nos deram ouvidos e o resultado é que tem três tesoureiros do PT na cadeia, é que tem muita gente denunciada, não só do PT, mas de vários partidos políticos que compuseram e deram apoio ao governo do PT.


CRITICAS AO MODELO PT DE GOVERNAR
- Esses desmandos vem de cima, de forma verticalizada e o governo endividou o estado em R$ 5 bilhões, entra para história como governo que mais endividou nosso estado que encontrará dificuldade para pagar lá na frente, pois se trata de quantias astronômica e o pior é que não realiza absolutamente nada. E eu pergunto: quantas obras o governo Welligton Dias fez aqui no atual governo dele?, talvez você não encontre nenhuma. Se me perguntar grandes obras que Wellington Dias fez nos últimos três anos pelo estado do Piauí eu cito duas: deixou a Suzano ir embora e deixou a única fábrica grande que tínhamos a Itapissuma Nassau fechar.


ESTADO VOLTANDO NO TEMPO
- Vimos muito retrocesso, não houve grande investimentos ou expansão na atual gestão do governador, o que a gente vê são fornecedores com dinheiro a receber, o governo atrasou pagamentos, por onde a gente anda observamos a falta de credibilidade dos prestadores de serviços, tamém estão atrasados os salários dos terceirizados...

GESTÃO OPOSTA NA ADAPI E SEGURANÇA
- O governo loteou politicamente a Agência de Defesa Agropecuária-ADAPI que nós criamos e entregamos aos técnicos, colocamos lá só técnicos sem nenhuma interferência política. Na segurança pública estamos vendo um grande caos no estado, assaltos a bancos, bandidos assaltando, levando celular, bolsas, um alto índice de criminalidade todos os dias, inclusive com policiais sendo assassinados. O governo atual acabou com a marca da policia comunitária que deu certo do Ronda Cidadão que expandindo ao interior, levamos para Picos, Floriano, Piripiri, Parnaiba e a ideia era expandir, o governo também sucateou o RONE.

GOVERNO QUE ADORA MÍDIA
- O governo atual gasta mais com comunicação do que com segurança. A propaganda que ele fez até hoje são das obras que eu deixei, e vamos mostrar isso.

MAIS TRABALHO QUE WELLIGTON
- Para se fazer um bom governo precisa ter boas ideias. Quanto é que vale uma ideia?, isso mão tem valor, então nós tivemos as ideias, tiramos as ideias do papel e começamos a fazer um revolução no estado do Piauí e não dá porque foram só quatro anos. O Wellington está com 10 e eu desafio: bote de um lado, o que ele fez em dez anos e do outro o que eu fiz em quatro para saber quem fez mais. 10 contra 4. Nas ideias e nas obras e nos investimentos. Um governo que é pobre de ideia não avança, não cresce, um governo que não tem grandes projetos, coisinhas miúdas não avança.
Wilson Martins em entrevista a Fm Eldorado em 2011
PRÉ-CANDIDATURA AO SENADO
- É uma possibilidade. Esse ano nós não podemos fazer pesquisas, salvo aquelas registradas, mas falando em pesquisas anteriores feitas no ano passado, e as que os partidos fazem internamente e stou em primeiro lugar em todas elas na questão do primeiro voto para o senado e estou na média do segundo voto.


REFLEXO DOS RESULTADOS DAS PESQUISAS E CUTUCADA EM ELMANO
- Há um sentimento do povo, de arrependimento porque inventaram uma onda de que determinado candidato 'era velhinho, era trabalhador' e o povo foi enganado com isso porque ele não trabalha, não tem vocação, não conhece o Estado. E hoje não temos a pior bancada do senado federal, vejam que temos apenas um que é o senador Ciro(Nogueira) que se esforça sozinho pelo prestígio que tem para fazer alguma coisa, mas há uma falta de entrosamento e uma segurança para você ser um senador da república.

LIÇÕES TIRADAS APÓS REVÉS NAS URNAS EM 2014
- A gente sempre aprende. Primeiro a gente conhece quem são os amigos. Aqui, tenho uma dívida muito com Elesbão Veloso porque eu recebi uma votação expressiva. Houve lugares que fiz muito mais e não me deram a oportunidade. Mas não ficaram mágoas de ninguém, nossa vida, nossa passagem aqui na Terra é muito curta e não dá para você ter mágoa, apenas a gente fica triste e decepcionado porque tem pessoas que você acredita, mas na verdade não são solidários nem gratos, o que não acontece aqui em Elesbão Veloso e outra boa parte de municípios do Piauí.

CONCLUSÕES EM RELAÇÃO O ELEITORADO
- O povo é sábio. Hoje, aonde eu chego sou bastante respeitado e bem tratado e o povo está me chamando para que eu volte para ser candidato, dessa maneira há uma possibilidade de eu ser candidato ao Senado.

BASE FAMILIAR E INGRESSO NA POLÍTICA

- Tenho uma família organizada e equilibrada. Nós passamos a vida toda estudando e trabalhando. Quando entrei para a política eu já tinha 42 anos de idade, nessa época eu já tinha feito um grande patrimônio, já tinha me formado, já tinha 15 anos de exercício efetivo como neurocirurgião e um conhecimento muito grande na categoria da saúde e médica. Tivemos também a oportunidade de salvar vidas e aliviar a dor de muitas pessoas.

RETORNO A VIDA PROFISSIONAL APÓS ANOS NA POLÍTICA

- Foi muito fácil porque eu particularmente fiquei seis anos afastado da medicina- dois como vice-governador e quatro como governador do estado. Fiz uma reciclagem. Passei dois meses em Boston-EUA, depois voltei, passei um mês em Londres, depois passei um mês na África do Sul, sempre dividindo o tempo entre estudo com línguas e medicina acompanhando colegas médicos e aprimorando, e aqui no Brasil participei de vários congressos internacionais, de forma que atualmente estou readaptado nesse contexto, atendo de segunda a quinta-feira, trabalho junto com 42 médicos numa clínica, Terraço Saúde em Teresina; nela a gente troca ideias, discute e cuida das pessoas e ajuda as pessoas naquilo que é possível fazer.


NO SENADO, QUER DEFENDER PROJETOS PARA ALAVANCAR ECONOMIA DO PI
- O Piauí tem um problema sério de água, especialmente no semiárido. Temos um projeto para interligar as bacias. É uma bandeira nossa, temos essa ideia há muito tempo e vamos rever agora. Outro grande projeto: não adianta você ter a Trans nordestina, levando tudo que é riqueza nossa, a produção de grãos e de mineral para os portos de Suape em Pernambuco ou para o Porto de Itaqui no Ceará; temos que ter a vertente, a linha que vem para Teresina e que possa chegar até Luis Corrêa para a partir dai fazer a interligação e viabilizar o porto a ZPE de Parnaíba através desse ramal, é uma coisa simples e barata que o Wellington já poderia ter resolvido, mas não teve força, coragem nem ideia para brigar por isso. Outro projeto é ampliar o parque eólico do Piauí. Pretendemos também transformar o turismo. Temos um turismo riquíssimo, que é o turismo das artes rupestres, noss turismo falta explorar, falta também condições logísticas.


OPOSIÇÃO ORGANIZADA E APOIO A LUCIANO NUNES
- Disseram que a oposição no Piauí ia se acabar, mas fizemos algumas pesquisas no final do ano e observamos que o governador está perdendo para o vento. Ele tinha 41% e 60% diziam que não tinha candidato ou não sabia em quem votar. Agora temos um candidato e é forte, bom, jovem, o Luciano Nunes tem 41 anos de idade. Ele tem quatro mandatos como deputado estadual e nunca você viu nada, nenhuma mácula que pudesse pegar contra esse rapaz, é um homem decente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário