Mestre de obras Zé Marreca e esposa fogem para evitar assalto de bandidos na zona rural de Elesbão Veloso.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Mestre de obras Zé Marreca e esposa fogem para evitar assalto de bandidos na zona rural de Elesbão Veloso.

Notícias de Polícia em Elesbão Veloso.
Por José Loiola Neto/Polícia 

Nesta última terça-feira(22/5), o pedreiro e mestre de obras José Antônio Soares da Silva, o Zé Marreca, 58 anos procurou nossa reportagem para relatar a ação de uma dupla aparentemente estranha e que por duas vezes quis atentar contra ele e sua esposa Joanita, na localidade Sambaiba, onde ele possui uma moradia.

Segundo Zé Marreca, os elementos agiram em ação suspeita pela primeira vez na sexta-feira passada, dia 18/5, quando na estrada vicinal que dá acesso a sua casa, um deles, sem camisa tentou lhe abordar e ele teve que sair urgente em sua motocicleta, conseguindo retornar a cidade.

Já no domingo passado, dia 20/5, por volta das 14h45, ele e a esposa seguiram da cidade para localidade Sambaiba, onde pretendiam descansar o restante do dia. Conta Marreca que cerca de 20 minutos após terem chegado a sua casa percebeu a movimentação de dois sujeitos passando em uma motocicleta na estrada que fica a poucos metros da casa.

- De repente eles pararam a moto e vieram em direção a casa, ao chegar próximo a cancela, que eu deixei trancada com um cadeado, um deles que estava sem camisa pulou a cancela, dai não vi mais nada, até porque eu fugi com minha mulher, andamos dois quilômetros até chegar a casa do Zé do Chagas, onde pedimos socorro.

Zé Marreca, que possui residência fixa em Elesbão Veloso conta que assustado de domingo para cá não mais retornou a propriedade até porque está bastante preocupado com sua integridade física até porque em menos de 48h sofreu o que considerou duas tentativas de assalto.

- A primeira vez(na sexta-feira) vi um cara só, ele estava sem camisa. Eu não o conheço, não adianta, nem que bote na minha frente não consigo saber quem é até porque eles ficaram a uma certa distância, outro detalhe é que na sexta ao passar por mim, o sujeito trafegava muito veloz numa moto.

Perguntado se os acusados portavam armas, Zé Marreca disse que dada a distância que se encontrava não era possível perceber esse detalhe. Eles não levaram nada da casa. Zé Marreca disse que está preocupado e supõe que a dupla queria praticar um assalto, mas até o começo da tarde de ontem, quando conversou com nossa reportagem não havia registrado BO na DP da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário