Adonias Moura e Chagas Cinobilino analisam realização do Circuto Vale do Sambito de Vaquejada; Adonias destaca que "evento está renascendo".

domingo, 8 de julho de 2018

Adonias Moura e Chagas Cinobilino analisam realização do Circuto Vale do Sambito de Vaquejada; Adonias destaca que "evento está renascendo".

Por José Loiola Neto

Elesbão Veloso recebeu nesse final de semana a 4ª etapa do Circuito Vale do Sambito de Vaquejada, realizada no Parque Breno Bezerra, imediações do Terminal Rodoviário. Com vistas a saber mais sobre o circuito que alcança a 24ª edição este ano, a reportagem do Painel Popular conversou com o presidente do Circuito, o senhor Adonias Moura Filho, de São Félix do Piauí e o coordenador local, o vaqueiro Chagas Cinobilino.

Adonias Filho ressaltou que o Circuito Vale do Sambito de Vaquejada é o único no Brasil na modalidade amador com 24 edições consecutivas. Ele fez uma avaliação positiva, ressaltando que no caso específico de Elesbão Veloso é uma das praças onde se registra uma grande boiada e inscrições. O presidente disse que mesmo diante da crise econômica verificada nos últimos anos, a perseverança tem sido o principal combustível para a continuidade do evento.

Adonias Moura Filho, presidente do Circuito Vale do Sambito de Vaquejada
 - Com a ajuda dos amigos, com perseverança e amigos vaqueiros amadores em todo o Piauí que prestigiam o Vale do Sambito a gente tem continuado e para o próximo ano com fé em Deus estaremos comemorando os 25 anos do Vale do Sambito.

Adonias reconhece que o circuito já teve altos e baixos e atualmente vem renascendo, tanto que se comparado as edições anteriores tem tido um fôlego melhor, prova disto é que em média as provas tem registrado entre 100 e 120 casadinhas por etapa, além disso, a etapa final em Aroazes vai destinar brindes para os participantes.

- Este ano temos duas motos Pop 100 a serem distribuídas na última etapa e próximo ano vamos ter duas motos 160 na etapa final. Não tenho dúvidas que vamos melhorar, vamos continuar trabalhando com responsabilidade, com a ajuda dos amigos, parceiros porque ninguém faz uma festa dessa sem parceiros, sem patrocinadores, vamos lutar para continuar com o Sambito firme e forte.

Por sua vez, Chagas Cinobilino disse que vaquejada é uma paixão arraigada, prova disto é que devido a idade já pensou em parar, mas quando se aproxima a data do evento, o desejo fala mais alto, principalmente por saber que a etapa de Elesbão Veloso sempre se destaca, contudo ainda precisa de incentivos, pois se trata de um evento que movimenta pessoas de outras cidades.

- Muita gente de Teresina vem para cá e ocupam todos os quartos de pousadas, é uma festa muito grande para Elesbão Veloso por isso vejo que falta mais incentivo e apoio do pessoal em termo de ajuda.
Chagas Cinobilino

Chagas Cinobilino reconhece que o circuito já foi mais forte no passado e a crise econômica atual tem atrapalhado, nos últimos dois anos deu uma recaída, mas este ano, melhorou consideravelmente, e as duas motocicletas que serão sorteadas na etapa final em Aroazes tem contribuído para a participação do público.

- Ano passado em Elesbão Veloso deu 67 senhas, este ano devemos chegar a mais de 100, podemos considerar um bom número. Teremos disputas entre dois grupos, sendo um boi para cada grupo.

Para Chagas Cinobilino, ao contrário do que alguns comentam tendo gerado polêmicas que foram parar no Congresso que cogitou a possibilidade de encerrar a modalidade, a vaquejada é um esporte, o que aconteceu na verdade foram mudanças, se comparada a outras épocas.

- Antes a vaquejada nada mais era do que ajuntar gado e isso foi modificado. Isso é um símbolo nordestino e sempre teve, por isso não pode parar de acontecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário