Pré-candidato a deputado estadual pelo PSOL, advogado valenciano Francivando Rosa se mostra otimista para disputa de pleito no Piauí: "quero competir e ganhar".

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Pré-candidato a deputado estadual pelo PSOL, advogado valenciano Francivando Rosa se mostra otimista para disputa de pleito no Piauí: "quero competir e ganhar".

Advogado Luis Francivando Rosa é pré-candidato a deputado estadual pelo PSOL

Por José Loiola Neto

O pré-candidato a deputado estadual Luis Francivando Rosa(PSOL) em entrevista ao Blog Painel Popular/Elesbão News disse que já tem uma vivência na política de pelo menos oito anos atuando como advogado do seu partido.

Nesse espaço de tempo, Francivando afirma que pôde perceber que pouca coisa mudou naquilo que é praticado pelos candidatos, e diante a atual crise monumental que o país atravessa decidiu colocar o nome para apreciação popular.

- Minha pré-candidatura é principalmente por perceber que a nossa microrregião valenciana não detém, nem cria nenhum pré-candidato. Tivemos no passado nosso amigo Luciano(Paes Landim), que foi candidato aqui na terra(Elesbão Veloso) e a gente defende pessoas novas na política, acho que essas pessoas tem e precisam se envolver mesmo, se não a coisa não muda. Coloquei meu nome e o partido endossou, estamos nessa pré-candidatura a deputado estadual pela região valenciana.

Natural de Valença do Piauí, Francivando comentou que sua futura candidatura será para competir e ganhar sobretudo por acreditar que o seu partido-- PSOL ser novo e possuir vários diretórios que vão unir forças para eleger deputados e o representante ao senado, o ex-deputado federal Jesus Rodrigues.

- Teremos candidatos a todos os cargos desde presidente a deputado estadual. Não vamos medir esforços para atingir a nossa finalidade que é colocar uma representatividade do PSOL na Assembleia.

Advogado por formação, Francivando ganhou notoriedade ao conduzir um processo que pediu a cassação de seis vereadores da Câmara de Valença do Piauí, segundo ele, motivado e por  ter o estábulo e o tino de perceber que não dava mais para tratar a mulher como sempre se tratou historicamente e simplesmente para preencher quórum.

- Nós temos uma lei, a lei eleitoral, a 9.405/97 no seu artigo 10º, parágrafo 3º que reserva uma cota de gênero, não especificamente para mulheres, mas como a gente sabe que historicamente as mulheres são menos beneficiadas ele termina por atender a questão das mulheres, e a gente percebendo essa mesmice, reunimos provas, entramos com recurso e tivemos sorte de ser o primeiro caso julgado no país, julgado em tempo recorde pela Drª Keila em Valença.

Em torno desse caso, Francivando ressaltou que após transitar no Tribunal Regional Eleitoral-TRE-PI, o processo se encontra hoje em Brasília com uma liminar que suspendeu a eficácia da decisão do TRE, mas o advogado e agora pré-candidato a deputado estadual acredita que na força da tese, tanto que cinco TRE´s nacionais já se pronunciaram  e foram unânimes em dizer que terão que ser cassados os vereadores de uma coligação que disputou o pleito na eleição municipal de 2016 em Valença e feriu os princípios da lei.

- Ou faz isso ou fere de morte essa lei que é tão importante para incentivar a participação da mulher na política.

Nenhum comentário:

Postar um comentário