DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de domingo, 12/08/2018

domingo, 12 de agosto de 2018

DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com professor Antonio da Costa de Sobral-CE- Material de domingo, 12/08/2018



Por Professor Antonio da Costa

As orquídeas e os testículos

Responda já: como se chama a inflamação nos testículos? Eu ajudo (um pouco): o sufixo grego que designa doença inflamatória é “ite”, presente em otite (inflamação no ouvido), nefrite (inflamação nos rins), estomatite (na boca), apendicite (no apêndice), etc. E a inflamação nos testículos?

Vamos lá: é “orquite”. Sim, orquite. Será que... Sim, a orquite e a orquídea são farinha do mesmo saco. As duas palavras vêm de “órchis” (do grego), que significa “testículo”.

Bem, agora só resta lembrar que as orquídeas têm duas raízes tuberosas, que lembram testículos... Quem diria, não?

Avisei o cliente do recorde na safra da laranja
Qual é a forma correta: “Avisei o cliente do recorde na safra?” ou “Avisei ao cliente o recorde na safra? As duas. Os dicionários de regência dizem que a construção “avisar alguém de alguma coisa” é a originária, mas ressalta que a forma ‘avisar alguma coisa a alguém” encontra largo registro ou registo.

O que não se recomenda é algo como “avisar a alguém de alguma coisa” (Avisei aos clientes do problema com elevador), em que o verbo apresenta dois complementos introduzidos por preposição. Pode-se dizer “Avisei os clientes dos problemas” de acordo com a sintaxe (pronuncie ‘sintasse’) originária, ou “Avisei aos clientes os problemas”.

Cerca de 342 pessoas
Viva a liberdade de imprensa! Viva a imprensa livre! Mas que essa liberdade não dê a ela o direito de publicar esquisitices como esta: “Estavam na conferência cerca de 342 pessoas”. A frase está nas páginas de um dos mais importantes jornais do país.

A expressão “cerca de” indica ideia de arredondamento. Portanto, não combina com número tão preciso (342). Faz sentido dizer: ‘Cerca de 300 pessoas (ou qualquer número redondo) de pessoas estavam na conferência”. Quando se sabe o número certo, dispensa-se o “cerca de”.

São ou Santo
Se o nome começa por vogal ou ‘h”, usa-se santo: Santo Antônio, Santo Henrique, Santo Hipólito, Santo Estevão. Se o nome começa por consoante, usa-se “são”: São Pedro, São Cristóvão, São Roque, São João. A exceção fica por conta de Santo Tirso, Santo Padre. Há oscilação no uso de “São” e “Santo” em São/Santo Tomás de Aquino.

Por “isto”
Não existe essa locução em nossa Língua, mas apenas “por isso”. Por isso, usa sempre por isso.

Vizinho (etimologia)

Vizinho - do Latim “vicinus” (vizinho que tem uma casa próximo). O termo é oriundo de “vicus”, que significa aldeia, vila e, depois, bairro. Portanto, a partir da origem o vizinho não é somente o que está ao lado, o que mora contíguo, paredes-meias, como se diz no estrito sentido. Mas vizinho é aquele que mora próximo e que se conhece, têm-se laços de amizade.

Hoje, nas grandes cidades, muitos não conhecem o que mora no apartamento em frente, ou ao lado. Neste caso, são contíguos os apartamentos, são ligados, mas não são “avizinhados” na convivência. Cognatos: avizinhar, vicinal, vizinhança.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.

Nenhum comentário:

Postar um comentário