Morador do Capitão Mundoco em Elesbão Veloso, vivendo solitariamente após dois casamentos, seu Da Cruz foi caminhoneiro e chegou a morar em garimpos: "estive quase morto lá".

Por José Loiola Neto/Destaques de Elesbão Veloso

Francisco da Cruz da Silva, o seu "Da Cruz" aposentado, 75 anos(15/09/1944), residente nas imediações do campo do Ferrim, bairro Capitão Mundoco, nascido em Iguatu-CE, mas tendo chegado aqui ainda menino com os pais, na época que ainda era povoado Coroatá, sendo naturalizado elesbonense estabeleceu conversa com nossa reportagem, e em princípio lembrou as atividades laborais que exerceu na vida.

- Eu já fui quebrador de pedras, servente de pedreiro, motorista de caminhão, motoqueiro, motorista de carro pequeno fazendo fretes.

Casado por duas vezes, sendo que a esposa da primeira união faleceu, seu Da Cruz se mostrou um verdadeiro nômade, em busca de oportunidades que garantisse o sustento da família.

- Já morei em São Paulo, no Acre morei em Rio Branco, Xapuri, em Boa Vista-RR e até na Venezuela. Eu já toquei parte do mundo.

Conta ele que no Garimpo Sovaco da Velha, na Amazônia brasileira chegou a adoecer.

- Eu estive quase morto lá, mas me recuperei da malária à base de limão azedo e farinha branca. Depois disso retornei, mas tive problemas com um desmantelo de família, mas tá tudo bem, estou escapando.

O aposentado se orgulha pelo fato de ter duas filhas formadas residindo em Timon-MA, onde ele vai vez por outra. Por outro lado, acrescenta que um dos filhos é carreteiro, mas no momento se encontra parado. Seu Da Cruz vive solitariamente, mas não há lamentações por conta disso

- Mal acompanhado, melhor sozinho. Estou bem e vivendo, minha casa como pobre não falta nada, de tudo eu tenho e estou sossegado. Não tenho débitos, em termo de saúde tenho uma hérnia de disco, se não fosse isso estava bem demais.
Seu Da Cruz fala ao Elesbão News

Seu Da Cruz, 75 anos, já esteve até na Venezuela. 

Postar um comentário

0 Comentários