Ad Code

Responsive Advertisement

ESTRUTURA: Diretora da mediação tecnológica-Canal Educação, professora Viviane Holanda destaca importância da ferramenta no período pandêmico para estudantes do Piauí, e chama a atenção para consolidação do projeto: "servimos de vitrine para muitos estados"

Professora Viviane Holanda fala ao Elesbão News. Foto: professor/radialista José Neto

Por José Loiola Neto/Educação

Na visita que realizei aos estúdios do Canal Educação, em Teresina, mês passado, juntamente com colegas professores, acompanhando parte dos alunos que compõem o primeiro ano mediação tecnológica no Ceep Benedito Portela Leal, tive a oportunidade de conferir a esturutura e dinâmica de trabalho dos profissionais, e ao mesmo tempo saber um tanto dessa ferramenta de longo alcance e abrangente, tanto que chega aos 224 municípios do Piauí, ofertando ensino à distância nas modalidades de ensinos fundamental, médio e profissionalizante. 

Aproveitei o ensejo, na condição de radialista, para conversar com a diretora da mediação tecnológica junto ao Canal Educação, professora Viviane Holanda Barros Carvalhedo, que na prática fez um apanhado geral histórico do canal, segundo ela, o maior centro de mídias e e produção de conteúdo pedagógico, pertencente ao governo do Piauí, em atividade há dez anos. Para Viviane, a pandemia do coronavírus principiada em 2020 serviu para o canal alavancar ainda mais os horizontes de ensino/aprendizagem, visto que foi a principal ferramenta de acesso as aulas, considerando o momento crítico do ápice da doença, quando as aulas presenciais foram suspensas. 

- A partir de 2015, ampliamos os kits de mediação, onde temos uma transmissão satelital e kits de mediação tecnológica instaladas em 382 escolas e 59 anexos de regional no Piauí e essa oferta que temos, que vai de ensino médio, educação profissional com cursos do eixo de negócios concomitante, temos Educação de Jovens e Adultos, ensino superior e o preparatório ENEM e formação de professores, então tudo isso dá ao Canal Educação o título de centro de mídias com maior capilaridade e maior oferta de ensino em todo o país. 

Professora Viviane Holanda é diretora do Canal Educação. Foto: Canal Educação 
A diretora destacou que no período pandêmico, o canal conseguiu fazer uma ampliação da oferta incrementando também a modalidade de ensino fundamental. 

- Nossa oferta principal era o ensino médio, mas na pandemia abriu-se uma janela de oportunidade e nós para apoiar também os municípios que não estavam ainda com dificuldade de implementar o ensino remoto, nós ofertamos ensino fundamental de sexto a nono ano, apoiando muitos municípios, secretarias municipais, colocando para rodar uma oferta de formação de professores.

Viviane Holanda lembrou que o alunado do Piauí a priori não saiu prejudicado ainda que num momento adverso imposto pela pandemia do coronavírus, quando as aulas presenciais ficaram suspensas por quase um ano e meio. 

- É verdade que a pandemia tirou dos nossos alunos e professores a questão do contato com o chão da escola, e esse contato físico é de fato insubstituivel, mas aqui no Piauí fomos um dos primeiros estados a colocar o ensino remoto para ser executado, a partir do dia 13 de abril 2020 as aulas por mediação, e dois dias depois começamos com oferta de prepartório para o Enem. 

Acerca do novo Ensino Médio, em vigor, a partir desse ano, a professora vê que é algo que veio para tornar a espinha dorsal, que é o protagonismo do estudante, todavia, esse destaque estudantil não quer dizer que ele vá determinar ações e estratégias promovidas pela escola. 

- Na prática é a situação do estudante ter vez e voz na produção de conhecimento, visto que ele é co-criador do processo de aprendizagem, no caso do Canal Educação, ele vem para apoiar com a cartela de eletivas, com conteúdos novos, com o próprio projeto de vida que a gente oferta, acho que o novo ensino médio vai promover uma mudança no próprio conceito didático que a escola tem. 

Viviane concluiu mencionando que o Canal Educação é um projeto consolidado, a prova é o fato de ser o maior sistema de mediação tecnológica de capilaridade de oferta do país. 

- Servimos de vitrine para muitos estados, hoje estamos entregando conteúdo para o estado de Sergipe, para municípios da Bahia, durante algum tempo, o Maranhão usou nosso conteúdo, o Ministério da Educação trouxe pesquisadores de Alagoas para o Piauí tendo em vista entender o sistema de mediação e implementar a estrutura de mediação tecnológica do próprio ministério, que acabou de ser inaugurada e o próprio Banco Mundial utiliza o Piauí como modelo e ação de sucesso para fora do País. 

Reactions

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu