EM BUSCA DE SOLUÇÃO: Reforma, redução do número de partos e falta de ambulância no HENM entram na pauta de discussão entre diretor e vereadores em Elesbão Veloso.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

EM BUSCA DE SOLUÇÃO: Reforma, redução do número de partos e falta de ambulância no HENM entram na pauta de discussão entre diretor e vereadores em Elesbão Veloso.

Vereadores durante audiência com diretor do HENM

Por José Loiola Neto/Destaques de Elesbão Veloso

Foi bastante proveitosa a audiência entre o diretor do Hospital Nortberto Moura, o fisioterapeuta Hyezio Moura e seis dos nove vereadores que compõem o Legislativo Municipal, sábado passado, dia 10 de fevereiro. Compareceram os vereadores: Cícero do Cabana, Edi Rufino, Elizeth Cavalcante, Graciosa Carvalho, Pinto Moura e Tácio Lopes,

Não custa lembrar que o encontrou aconteceu depois que durante a primeira sessão do ano dia 2 de fevereiro, o vereador Tácio Lopes fez denúncia contundentes contra aquela unidade de saúde, dentre elas, o problema no centro cirúrgico e o atraso salarial dos servidores.

Durante a reunião que durou cerca de uma hora, os vereadores falaram e ouviram o diretor. A vereadora Graciosa Carvalho explicou que estava ali para conferir em loco o que o colega Tácio expôs na Casa, e que não era do seu estilo sair do encontro para promover falácias lá fora.

- Não estou aqui para sair com ti-ti-ti para promover ou criticar injustamente, agora, a gente quer saber o porque dos usuários que vem aqui sempre saem criticando, viemos aqui para vê a realidade dessa unidade de saúde, se não for verdade o que dizem pronto, acabou., falou Graciosa Carvalho.
Além dos debates que ocorreu na sala do diretor, foram visitadas alguns setores do hospital, incluindo enfermarias, centro cirúrgico, almoxarifado etc.

Aliás, no almoxarifado percebeu-se o local abastecido, inclusive de produtos de limpeza, motivo de reclamação de um paciente que esteve internado naquele hospital recentemente e teria dito que comprou produtos de limpeza porque o HENM não dispunha. A denúncia chegou ao conhecimento da vereadora Graciosa, que disse ter ficado estarrecida.

Na audiência foi debatido sobre a necessária e urgente reforma que carece o hospital. O assunto da ambulância também entrou em pauta. Nesse particular, o diretor não achou demérito Elesbão Veloso recorrer a Francinópolis para destinação da ambulância para transportes de pacientes. Importante salientar que desde abril do ano passado, o HENM está sem ambulância, já que uma nova unidade recém-chegada se envolveu em acidente na BR-316 ficando bastante danificada.

O vereador Tácio fez referência ao centro cirúrgico, disse que precisa haver vontade política do governo para melhorar a situação que tem causado prejuízos ao município, limitando a quantidade de partos realizados no hospital.

- Eu sei que os recursos que chegam são poucos. Eu pedi que o governador tente resolver a situação porque no momento em que ele reagir para mudar a realidade do hospital ele estará ajudando a direção, equipe médica e toda população. Não estamos aqui para denegrir a imagem de ninguém.

O diretor Hyezio Moura explicou que a comunicação com a Secretaria de Saúde do Piauí-SESAPI ou outros órgãos é através de ofício e que durante sua gestão iniciada em 2015 solicitou a reforma e tratou dessa questão com o próprio secretário e superintendente de saúde. Sobre a reforma ao prédio existe expectativa de a licitação ser concluída ainda neste mês de fevereiro e haveria uma fase de execução de obra.

- Essa parte da aquisição de material, equipamentos e obra não é da nossa alçada.
Em relação ao atraso de pagamento dos servidores, Hyezio explicou aos vereadores que todo ano o setor financeiro fecha para contabilidade, tendo em vista realizar a programação orçamentária a ser enviada a Assembleia Legislativa.

Com relação a ambulância, Hyezio explicou que em razão do que aconteceu-- o sinistro na BR-316 em abril do ano passado, o HENM passou a ficar no final da fila quanto ao pleito de uma nova ambulância já que existe uma escala de prioridades.

O vereador Edi Rufino cobrou sobre a escala dos plantões médicos, ressaltando que seria interessante que em hipótese alguma o hospital ficasse "desassistido de médicos" algo bastante comum nos últimos meses. FOTOS








Nenhum comentário:

Postar um comentário